Na aula de Patchwork da semana passada, eu comentei com a Tatiana e com a dona Lucia, as queridas que dão o curso, que eu quero muito fazer uma colcha de Patchwork para a minha casa. Sempre achei lindo, mas nunca imaginei que um dia seria capaz de fazer uma.

A dona Lucia comentou comigo que elas estão pensando em organizar um “retiro costurístico” num lugar bem legal, fora do Ateliê, em que as pessoas interessadas em fazer colchas se reunissem e ajudassem umas as outras a fazerem seus projetos, provavelmente levando dois finais de semana. Eu amei a ideia e já me dispus a fazer parte. Estou torcendo muito para dar certo!

Na hora veio à mente um filme que assisti muitas, mas muitas vezes mesmo: “Colcha de Retalhos” de 1995. A sinopse é essa:

“Enquanto elabora sua tese e se prepara para se casar Finn Dodd (Wynona Ryder), uma jovem mulher, vai morar na casa da sua avó (Ellen Burstyn). Lá estão várias amigas da família, que preparam uma elaborada colcha de retalhos como presente de casamento. Enquanto o trabalho é feito ela ouve o relato de paixões e envolvimentos, nem sempre moralmente aprováveis mas repletos de sentimentos, que estas mulheres tiveram. Neste meio tempo ela se sente atraída por um desconhecido, criando dúvidas no seu coração que precisam ser esclarecidas.”

Esse filme passou no Telecine em 1996 ou 1997 e eu assisti muitas vezes. Sempre que eu zapeava pelos canais e ele estivesse passando, eu assistia. Foi paixão à primeira assistida. Cheguei a gravar em uma fita de vídeo (#katiavelha, rs!), assisti muitas vezes depois que saiu da grade de programação da TV, mas um dia meu irmão gravou alguma outra coisa por cima sem querer… Eu resolvi ir atrás do filme neste final de semana e encontrei para alugar numa 2001 (sempre me salvando nessas horas! – Nota: a 2001 Video não possui mais lojas para locação de filmes, infelizmente).

As mulheres que se reúnem sempre para costurar colchas juntas se conhecem há muito tempo e vão contando suas histórias de amor para a protagonista do filme, Finn (interpretada pela Winona Rider) que foi pedida em casamento e está na casa da tia-avó para colocar seu projeto de mestrado em ordem e acaba passando por um momento de dúvidas em relação ao amor.

A colcha que as mulheres costuram durante o filme é para Finn, será um presente de casamento para ela. O mais legal é que cada mulher é responsável por construir um bloco que vai compor a colcha e eles refletem suas respectivas histórias de amor, já que o tema da peça é “Onde Mora o Amor”.

O filme tem uma trilha instrumental bem legal, as roupas e a estética dos anos 90 que eu amo (e que vivi na minha adolescência, o que hoje em dia dá uma certa nostalgia), os flashbacks são ótimos e todo o ambiente de uma cidade pequena, florida e ensolarada da Califórnia também (hummm, o cestinho com morangos… ok, sem contar mais detalhes!)

Não achei o DVD para comprar, mas encontrei a opção de alugar ou comprar o filme pelo iTunes.

Aqui tem um trailer, sem legendas infelizmente. Mas dá para ver bem toda essa beleza de um filme dos anos 90 com a Winona!

Interessante é perceber que um filme que adorei tanto quando era mais nova ficou guardadinho num cantinho da memória pra ser relembrado agora, com o meu amor pela costura e com a descoberta do Patchwork. Felizmente não estou numa fase de dúvidas como a Finn, mas ainda assim foi uma delícia rever o filme depois de tantos anos, desta vez na minha casinha, com um café quentinho, um cobertor e o cachorro mais velho esquentando os meus pés. Aproveitei o fim de tarde “temático” de ontem para fazer o quilt à mão do projeto da minha bolsa em patchwork.

Adorei notar a máquina de costura, materiais e colchas e almofadas com carinha de feitos em casa que aparecem nas cenas. E sim, como já deve dar para perceber, eu continuo adorando o filme!

No fim das contas, terminei de assistir pensando em como as coisas são conectadas em nossa vida, como tantas coisas demonstram nossa personalidade e nossa história. Pensei também no que eu estarei contando sobre a vida e o amor quando eu estiver com a idade das mulheres do filme.

Deixo duas citações do filme pra encerrar este post:

“Jovens amantes buscam a perfeição. Antigos amantes aprendem juntos a arte de costurar pedaços e de ver a beleza em uma multiplicidade de retalhos.”

(Finn – lendo um poema que a alma gêmea de Marianna deixou para ela)

“Como Ana disse, para fazer uma colcha, deve escolher os retalhos com cuidado. Se escolher bem, dará destaque à obra, se escolher mal, as cores ficam sem vida e tiram sua beleza. Não há regras a serem seguidas. Deve-se seguir o instinto e ser corajosa.”

(Finn – frases finais do filme)

Se você assistir me conta?
Beijos!

OBS: Post atualizado em 14/03/16, com links para assistir e do trailler atualizados. Consegui comprar um DVD deste filme quando fui para San Francisco, o único “porém” é não ter legendas em português.