Ontem foi meu aniversário, completei 38 anos. Em algum outro post de aniversário eu comentei que todo aquele movimento de reflexão, planos e desejos para o ano seguinte começa um pouco antes comigo, já que faço aniversário apenas duas semanas antes da virada do ano (o do calendário). E o saldo do meu 37º ano foi mais que positivo!

Vem 38!

Fisicamente não foi nenhuma maravilha, confesso. Em fevereiro, passei por uma cirurgia que escolhi fazer e, ao me preparar para ela, descobri um probleminha que me levou a uma segunda cirurgia, feita em novembro e da qual agora estou me recuperando (isso para quem nunca tinha ficado internada na vida é muita coisa!).

Entendi que meu corpo esse ano funcionaria mais devagar do que eu desejei e que ele tem o seu próprio tempo para se recuperar destes eventos. Tive uma fase de várias coisas menores e bem chatas (como uma virose de 9 dias que me deixou super mal, mas que um dia foi embora do mesmo jeito que chegou), não pude fazer exercícios em metade deste ano. Engordei, inchei, voltei a sentir dor no joelho e nas costas.

Não por isso eu desisti de cuidar do meu corpo, só não fiquei aflita ao ver que o tempo dele se reestabelecer era simplesmente dele. Tudo isso vai passar no seu devido tempo.

Por outro lado, a cabeça ferveu de tanto trabalhar! Embarquei no Decola Lab (mesmo não tendo concluído – ainda) que me levou à terapia para entender meus fantasmas do passado que me impediam de empreender novamente. Que me levou a fazer uma formação em Consultoria de Estilo, que foca mais nas pessoas do que nas roupas. Toda essa viagem de autoconhecimento me levou até à astrologia, onde descobri que sou uma sagitariana com ascendente em Touro e lua em Sagitário também, sendo muito simplista. Encontrei algumas respostas na Astrologia que só o olhar de uma pessoa de fora poderia me ajudar a ver (assim como tem sido na terapia).

Logo no começo do ano, coloquei o blog novo no ar, nessa casa própria que tanto amo! Lá no começo, a ideia era transformar esse cantinho de entrega super pessoal em algo que me rendesse algum dindin, hoje em dia eu vejo que ele tem que permanecer como super pessoal mesmo pois o que vai me render algum ganho financeiro é o que está para sair do papel em breve.

Por conta dos cursos que fiz (porque também fiz curso de fotografia e de vídeo), conheci muita gente, mesmo vivendo uma fase muito caseira.

Costurei pouco se comparado com os anos anteriores, mas costurei com muito foco e agora tenho um armário handmade que me orgulho demais! A consultoria de estilo me ajudou muito a dar um rumo nos próximos projetos e a tirar do armário as peças que um dia me representaram muito bem, mas que há um tempo tinham virado memórias que costurei um dia e que já não me vestiam mais.

(Este quadrinho que representa tão bem os meus pensamentos me encontrou na última Feira na Rosenbaum)

Tricotei um tanto e aceitei o meu ritmo lento nessa manualidade. Também fiz um tanto de crochê, manualidade que tanto amo e que sempre posso retomar.

Deixei minha cabeça voar tanto quanto julguei necessário (a sagitariana típica, como dizem) e agora está na hora de fincar os pés no chão de novo.

Para os 38, quero me aprimorar no bordado, continuar a terapia, continuar a costurar pouco e de maneira certeira. Continuar a fazer tricô e crochê. Quero continuar a manter o blog com o planejamento e organização que consegui criar e manter desde o ano passado. Quero colocar minhas ideias de negócio em prática, lançar para o mundo a minha visão do handmade com significado. Quero estar com pessoas, que é algo que me faz feliz.

Minha reclusão de eventos, cursos e tudo mais nesses últimos dois anos me fez bem. Eu acho que parei com o ritmo frenético que eu tinha adotado até o final de 2015 pois achava que eu não tinha nada de novo a entregar depois de tanto aprendizado, tinha que sair do meu marasmo e zona de conforto pessoais primeiro. Agora tenho vontade de voltar a colocar a cara na rua, de compartilhar e de receber novidades. Minha cabeça está pronta para isso de novo.

Passei a sentir falta de dias andando pela cidade, conhecendo coisas novas, pessoas novas e lugares novos. Vou me programar para curtir mais tempo fora de casa, seja trabalhando ou não.

Minha cabeça tem ideias borbulhantes como não tinha há muito tempo e agora está na hora de organizá-las e colocá-las em prática. Estou feliz por tudo isso e esperançosa por um bom ano novo.

Que o 38º seja incrível!