Um presente em tricô para a Valentina

Para poder aprender técnicas (e pontos) diferentes, eu confesso que acabo sempre fazendo projetos novos e não repetindo quase nenhum deles.

Mas é um fato que é sempre bom ter uma “carta na manga” na hora de presentear. A gola em ponto barra inglesa que aprendi no ano passado já foi repetida algumas vezes (umas cinco, eu acho), sendo uma ótima opção de presente bonito e rápido em tricô.

A receita da manta que eu fiz para o Hiro no ano passado também valia a pena ser repetida! Foi o que eu pensei ao fazer um presente para a Valentina, filha da Ana e do Otávio, que vai nascer em agosto.

Repetir alguns projetos ajuda muito a fixar a técnica e também a aprimorar a prática!

A manta da Valentina

Resolvi há um tempo fazer uma manta de tricô para a Valentina e comprei o material em março, para garantir… Comecei mesmo a tricotar em maio, quando passei o aperto de ter comprado lã a menos, por distração minha. Por sorte, entrei em contato com o Bazar Horizonte, onde eu tinha comprado a primeira parte da lã e eles ainda tinham novelos do mesmo lote, ufa!

No ano passado eu anotei a receita em meu caderninho, mas quem disse que eu anotei direito? Na hora eu compreendi o que anotei e a primeira peça saiu certinha. Mas ao retomar, quase um ano depois, vi que faltavam informações importantes!

Por sorte, o post sobre a manta do Hiro está bem recheado de fotos (rs) e elas me ajudaram a fazer a manta da Valentina corretamente!

Ainda por cima, provavelmente por conta da pressa em terminar a primeira manta, eu não tinha anotado como era o acabamento em crochê e acabei levando a manta para as aulas para terminar. Com esses pequenos percalços resolvidos, assim ela ficou!

Usei 10 novelos de lã Sidney, da Filatura Cervinia (50g cada, 100% lã de merino), agulha de tricô circular de 6mm (sem fazer tricô circular, só aproveitando o comprimento do cabo para ter mais espaço para trabalhar) e agulha de crochê de 4mm. A cor é um verdinho bem claro, código 805.

Um gorro fofinho

Como eu tinha tempo hábil para entregar o presente e um pouco de lã que restou da manta, aproveitei para tricotar um gorrinho bem fofo para a Valentina. Ela vai nascer ainda no inverno e acho que será bem útil!

E gorro infantil tem que ter pompom, né?!

Eu usei parte de um novelo da mesma lã da manta, não cheguei a usar os 50g, tricotando com agulha circular 4,5mm de cabo de 40cm, o mais curto que eu tenho. O pompom foi feito com o fazedor de pompom maior da dupla que tenho da Clover (tem post sobre meus apetrechos de tricô e crochê aqui).

Conjunto pronto!

Tricotar é bom demais!

Eu fui registrando algumas etapas do processo de fazer este presente no meu instagram e agora compartilho aqui também!

O presente ainda tem uma embalagem fofa que costurei, vou mostrar em outro post!

**Siga o blog com o Bloglovin **

Acessórios para o Inverno: Colar de Tricotin com Pingente!
Look do Dia: Colete de Tricô!
A arte de Caetano de Almeida no Inhotim

Eu adoro ir a um museu, mas confesso que entendo pouco de arte contemporânea. Agora, se tem um lugar onde a arte contemporânea exerceu algum fascínio em mim, foi lá no Inhotim.

Estive lá por dois dias no ano passado e por mais dois dias agora em julho. Eu poderia fazer um post gigante sobre tudo o que me impactou nas duas visitas, mas quis destacar algumas obras que estão na Exposição “Por aqui tudo é novo”, inaugurada no ano passado na comemoração dos 10 anos do Inhotim.

Caetano de Almeida

As obras que me chamaram atenção são de Caetano de Almeida e formam lindas flores e folhas através da pintura com poluição (sim!) sobre tela ou papel e utilizando instrumentos de modelagem para formar as imagens. As curvas e esquadros que estamos acostumados a ver em nossos ateliês viraram obras de arte!

Consegui achar algumas obras do artista na Internet, pois não queria deixar de mostrar, achei lindo!

(clique em uma das fotos da galeria para ver em tela cheia!)

(Fonte: Galeria Luisa Strina)

Eu não tenho o costume de fotografar dentro de museus e afins, mas estas imagens eu queria compartilhar por aqui. Só que as obras estavam quase todas envidraçadas e, por conta do reflexo do vidro, não consegui captar algo que desse para ver direito… Ainda assim, aqui estão as obras com as curvas francesas pequenas que me encantaram!

É tão legal encontrar obras de arte com as quais a gente se relaciona e se encanta de cara, não é?! Eu adorei conhecer a obra de Caetano de Almeida e espero que ele continue produzindo peças lindas como estas!

Ah, esta exposição no Inhotim vai até setembro deste ano!

**Siga o blog com o Bloglovin **

Acessórios para o Inverno: Colar de Tricotin com Pingente!
Novidade: Livro “Costura Fácil” da Burda Style!
Como ser Produtiva Trabalhando em Casa – parte 2

 

Continuando este assunto que tem me encantado atualmente, sobre produtividade ao trabalhar em casa (o primeiro post está aqui), vou colocar mais alguns tópicos que abordei há alguns dias atrás no meu Instagram Stories.

Depois de organizar meu dia em blocos de atividades possíveis de serem cumpridos e de determinar qual seria meu horário de trabalho, evitando as distrações que eram tentadoras para mim, observei que mais alguns itens eram importantes para a minha organização e produtividade, vamos ver quais são?

Experimentar

No processo de criar meus blocos de atividades, deixei uma certa mobilidade para reorganizá-los se preciso. Apesar de ter o hábito de tricotar em quase todas as manhãs, já aconteceu de eu acordar com ideias borbulhantes para um post novo e eu trocar os blocos de lugar para preparar este post antes que eu esquecesse tudo!

Eu, por exemplo, faço pilates há quase três anos, basicamente no mesmo horário. Eu já tentei fazer exercícios no fim do dia mas nunca consegui me apegar por muito tempo. Este bloco está fixo, mas o restante eu permito ter alguma mobilidade, para testar e também para não engessar e ficar desmotivada!

Solidão x Junto

Como eu contei no outro post, eu aprendi a ficar bem enquanto estou sozinha em casa. Mas é um fato que é bom estar na companhia de outras pessoas que gostam das mesmas coisas que nós. Por esse motivo é que eu sempre estive participando de aulas, workshops e cursos de todos os tipos. Contudo, eu tive momentos em que eu ficava mais tempo fora de casa do que dentro, deixando coisas para trás em nome de ter companhia para costurar, tricotar ou fazer alguma outra manualidade.

Em 2015, um ano super atribulado, eu fazia aulas de Patchwork, curso de modelagem, aula de tricô, curso de alemão e sempre arranjava tempo para alguma oficina ou evento extra. Tinha também o compromisso de preparar e dar aulas de corte e costura, além de fazer pilates de três a quatro vezes por semana. Cheguei ao fim do ano feliz por ter feito tanta coisa, mas também exausta fisicamente e com a sensação de que não consegui aproveitar tudo ao máximo.

Em 2016 eu comecei a redimensionar a minha agenda e o tempo fora de casa e, agora em 2017 cheguei no que considero o ideal: pilates duas vezes por semana, tempo para caminhada e pedalada, terapia (que antes eu não tinha tempo para fazer), aulas de tricô. Seleciono bem os eventos extra como oficinas e workshops e participo de alguns: a oferta crescente deles aqui em SP é tentadora, mas estou priorizando para aproveitar ao máximo o que eu resolver fazer!

Assim, tenho ainda companhia nestas atividades fora de casa, mas não deixo para trás nada do que faço em casa.

Procrastinação Estruturada

Aprendi este termo num módulo introdutório do Decola e vi que eu já fazia isso, com a diferença que antes eu me sentia culpada. A tal procrastinação estruturada nada mais é do que fazer algo fora do trabalho quando sobra algum tempo, sem culpa. Eu, por exemplo, gosto de assistir um episódio de alguma série quando a agenda está tranquila entre um bloco e outro de atividade. Ou então, fazer aquela pesquisa de belezuras no Pinterest para um projeto novo. Às vezes, saio para tomar um café fora de casa e ler um livro, para ter uma delícia de fim de tarde após um dia produtivo!

Ao retomar as atividades programadas e habituais, eu volto com outra energia!

Planejar, registrar e manter o foco

Então, se está faltando tempo para você fazer algo, veja se tem algo te distraindo (era o meu caso em muitas ocasiões) e veja também se você está ficando frustrada por ter mais coisas a fazer no dia do que você é capaz de fazer. Se a gente se cobra por coisas que não consegue fazer, no fim das contas a gente fica tão frustrada que nem consegue fazer a parte prazeirosa.

Para mim, manter uma agenda mensal para os meus compromissos e também para organizar os posts do blog foi uma medida simples e que funcionou! Encontrei este formato nas opções da minha impressora, foi bem simples!

Agora, tenho usado um planner que ganhei para marcar os meus compromissos e antes andei flertando com o bullet journal (contei sobre isso aqui) mas mantenho a agenda mensal para o blog. Eu sou uma pessoa que nunca se apegou muito à agenda do celular e, quando eu anoto em algum lugar – de papel – é que eu realmente registro na minha mente!

Eu tenho uma lista de afazeres que não entram nos tais blocos por serem pontuais, mas estou sempre de olho nela para ver qual preciso resolver com mais urgência (por exemplo, marcar médicos para levar exames que fiz) ou por serem mais importantes. Eu adoro fazer uma lista, rs!

Eu sei que ainda tenho pontos de melhoria, a organização para ter mais produtividade é um processo que nunca se encerra, mas creio estar no caminho certo!

E você, como tem se organizado? Conta aqui nos comentários!

**Siga o blog com o Bloglovin **

Formação em Consultoria de Estilo!
Como ser Produtiva Trabalhando em Casa
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, ciclista, praticante de Pilates, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Formação em Consultoria de Estilo!
Novidade: Livro “Costura Fácil” da Burda Style!