Look do Dia: Redescobrindo as blusas – parte 1

Olá!

Quem acompanha o blog deve ter notado que eu não tenho mais produzido uma peça de roupa em seguida da outra. Basicamente existem alguns motivos para isso:

1. Meu armário está prestes a explodir (rs);

2. Roupas que não me serviam voltaram a vestir super bem!
Preciso confessar que, quando fiz a última limpa no meu armário, não tive coragem de dar nenhuma peça que eu tenha feito, mesmo que estivesse parada. Esta revisão do armário foi em fevereiro do ano passado (fiz este post na época, inclusive) e um monte de peças que eu já tinha costurado ficaram “esperando” por mim.

Ainda estou longe do meu objetivo final de peso, mas estou em uma fase em que várias roupas feitas no passado voltaram a servir. É ótimo por serem peças que eu gosto muito e porque não preciso me preocupar em comprar ou fazer roupas novas por um tempo, apesar da tentação ser grande.

Depois daquela blusa novinha que me despertou a vontade de voltar a usar calça jeans (post aqui), várias outras voltaram a ser usadas junto com a tal calça.

Esta blusa é muito especial para mim. Escrevi sobre ela pela primeira vez logo no comecinho do blog. Nasceu de dois presentes que a Ana me deu em 2013, que usei de uma vez só: um livro super legal e este tecido lindo de algodão com flores e pássaros. Resolvi colocar um barrado de outro tecido para deixá-la mais comprida e tudo casou bem com as rendas de algodão verde e branca:

Como na época eu só tinha a Velhinha, a blusa foi feita com costura francesa, aquela que deixa tudo embutido. Um capricho que dá gosto de ver até hoje:

E aí saí feliz da vida com a blusa, para participar de uma oficina de pratos rápidos e saudáveis lá no saudoso Otto Bistrô:

E, finalmente, um clique usando a alpargata listrada que eu já fiz há um tempo!

Blusa: Tecido de algodão que ganhei de presente, barrado em popeline da Liberty (Londres), rendas de algodão compradas no Bazar Mimura (Santo Amaro). Molde do livro “Um Pedaço de Tecido”
Calça jeans: Levi’s
Alpargatas: Tecido Cath Kidston (Londres), sola Prym (Berlin)

Voltar a usar esta blusa me fez lembrar de quanto eu queria que ela ficasse bem feita, mesmo que eu só tivesse uma máquina reta para usar. Ter apenas a Velhinha não limitava as minhas costuras (como eu achava na época) e fazia com que eu usasse da melhor forma possível o recurso que eu tinha. Costuras francesas e barras lenço eram muito usadas por aqui naquele início nas costuras. Por isso tudo, a blusa ficará no armário por muito tempo!

Gostou?

Me aguarde que eu tenho mais histórias como esta para mostrar!
Beijos!

A volta às costuras depois de um ano
Voltei a dar aulas! Primeira parada: Sesc Ipiranga
Costuras da Semana!

Olá!

Semana passada não teve post de costuras da semana por dois motivos: o feriado do Carnaval e também porque eu e o marido conseguimos viajar por alguns dias. Foi ótimo desligar da correria que anda rolando por aqui, mas voltar para casa é sempre bom, né?!

Por ter passado uma semana fora eu não tenho muito o que mostrar, mas lá vai…

Refiz as minhas alpargatas listradas pois, quando estava quase terminando, eu notei que tinha costurado a parte de trás dos dois pés ao contrário… Que raivaaaaaa! O jeito foi desmanchar tudo e refazer!

Pronta!

Como faltei na aula de Patchwork que teve antes do Carnaval, tive lição de casa para fazer e por enquanto está assim o meu Flying Geese:

Em progresso!

A próxima coisa que quero fazer é retomar a minha calça de pijama. Eu queria muito ter terminado a tempo de levar na viagem, mas não deu. Não tem problema, logo terei oportunidade de usar.

Colocando estas costuras em dia eu não consegui mexer na colcha, mas logo eu volto a fazê-la também!

Em breve mostrarei as compras da viagem por aqui (estou devendo muitos posts de viagem, acho que vou fazer todos de uma vez, rs).

Beijos e boas costuras

5 Anos de Blog – Minha Manta de Retalhos está de volta!
Como fazer toalhas de mesa!
Alpargatas Prym – para fazer em casa!

Olá!
Nas férias de julho, um projeto muito legal veio junto comigo para casa: costurar minhas próprias alpargatas. Comprei os itens necessários lá em Berlin e logo que voltei de viagem comecei a costurar aqui em casa.

Os produtos eram vendidos separadamente, mas estavam todos juntinhos na loja onde comprei (na Galeria Kaufhof): solado de corda com base em borracha, tecido externo (tinham algumas cores para escolher, fiquei com o vermelho), tecido termocolante para o forro, linha para o caseado manual.

Escolhi o meu número com base no que conhecia da numeração européia, que normalmente é dois números maior que a nossa. Como eu calço 37 aqui, estava quase pegando um par de solas 39. Acabei pegando um conjunto número 40 para garantir (e quando cheguei de volta ao nosso apartamento vi que tinha uma marcação na lateral da caixa para poder “experimentar”, rs).

Por fora da caixa há uma indicação de quais materiais eram necessários para o projeto, assim consegui comprar tudo e não passar aperto aqui depois.

Chegando aqui em casa, lá fui eu costurar. Veio um molde para cortar as peças, tudo bem simples. Mas o que resolveu mesmo foi este vídeo aqui, super explicativo e que nem precisa saber alemão para entender:

É tão simples que não tem legenda nem fala, só as imagens já explicam o suficiente!

Usei também, além da máquina de costura e dos alfinetes: dedal, Wonder Clips para prender as partes mais grossas e agulhas manuais para costurar lona e para costurar tapete.

No site da Prym (está em inglês, melhor do que em alemão, rs) têm outras opções de alpargatas para montar, mas eu fiz a mais básica mesmo. Como eu não tinha nenhuma, achei melhor começar por ela.

Iniciando…

Em progresso…

Pronta!

Eu amei fazer pois não imaginava um dia poder costurar meu próprio calçado! As alpargatas são super confortáveis e, se eu tiver oportunidade, comprarei mais material para fazer outras! Se alguém tiver uma dica para comprarmos solados deste tipo aqui no Brasil – de preferência no varejo – e puder contar nos comentários, será muito legal compartilhar para podermos fazer por aqui também!

Eu tenho usado muito as minhas alpargatas, no lugar de sapatilhas ou de tênis. O aspecto meio rústico dela dá um toque informal muito legal para o look, além de ser super confortável!

Esta foi a maior surpresa das minhas compras de férias! Amei!

Beijos!

A volta às costuras depois de um ano
Voltei a dar aulas! Primeira parada: Sesc Ipiranga
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno