Reaprendendo a bordar com o Clube do Bordado

Eu aprendi a bordar faz tempo, em 1998 (eita, 20 anos já!). Naquela época a gente bordava panos de prato riscados pela professora e, ao final, fazíamos uma barrinha de crochê para arrematar o trabalho. Foi assim que eu aprendi alguns pontos do bordado livre, como o correntinha.

Nessa mesma época também aprendi ponto cruz (com o avesso perfeito, tenho amor verdadeiro), ponto cruz duplo (que a gente fazia num tecido xadrez duplo, então a linha ficava embutida entre os dois tecidos. Aprendi também o vagonite.

Foi um ano intenso de manualidades, quando resolvi fazer aulas num armarinho perto da casa dos meus pais pois encarar apenas o cursinho pré-vestibular me pareceu chato demais, rs!

Foi o ano em que aprendi também a fazer crochê, essa manualidade eu nunca deixei totalmente de lado. Já o bordado aconteceu em momentos bem ocasionais ao longo destes anos todos.

A última vez que eu peguei um bordado livre para fazer foi em 2015, quando fiz o logo do blog para colocar na porta do meu ateliê. Fiquei feliz com o resultado, apesar dos defeitos e do avesso bem feinho, rs!

A post shared by Katia Linden (@katialinden) on

Naquela época eu já acompanhava o Clube do Bordado. Adoro como as meninas mostram como é legal bordar, além de conhecerem a técnica muito bem! Também gosto demais da estética dos trabalhos, as ilustrações e escolhas de cores.

E aí que em 2018, 20 anos depois, resolvi reaprender a bordar. Precisava desenferrujar este conhecimento guardado lá no fundo da minha memória craft e aprender mais. Acredito que este evento foi o primeiro de mais alguns que pretendo participar nesse ano.

Curso Módulo 1 – Bordado para Iniciantes

E assim eu recomecei a bordar em 2018, numa aula super gostosa comandada pela Renata e pela Dini. Vimos os pontos haste, atrás, nó francês e cheio. Este aqui é o projeto:

Fonte: site Clube do Bordado

Lógico que os meus pontos não estão perfeitos como este bordado delas mas, acredito que voltando a praticar, eles ficarão mais bonitinhos!

Voltei para casa feliz e com o kit para terminar o trabalho: risco e instrução com sugestão de preenchimento, um bastidor fofo de borracha – nunca tinha usado um destes – agulha e linhas de meada.

Levei a minha tesourinha japonesa garimpada pela Claudia, apesar que nem precisava levar, mas queria estreá-la numa ocasião especial!

(Clique em uma das fotos para abrir a galeria!)

Finalizando o Bordado

Levei o trabalho para terminar em casa, quer dizer, na minha viagem de aniversário de casamento em Montevideo. Foi um fim de semana ótimo e, enquanto o marido não chegava lá, eu bordei em companhia de um vinho branco, uma torta de pêra e a vista linda do Lavender! 

 

Ao voltar para casa, fui fazendo um pouquinho por dia, substituindo a hora diária do tricô e na mesma semana, terminei! Eu me cobro muito por ser detalhista (por exemplo, não estava muito feliz com o meu ponto cheio) mas ao final fiquei muito feliz!

Decorando o meu quarto

Logo que terminei o bordado, fiz o acabamento do tecido em volta e fui rapidinho colocá-lo no meu quarto. Para quem viu o post sobre a decoração dele, eu vou mudando a decoração de tempos em tempos! Amei como o bordadinho destacou na parede cinza!

Outros Bordados: Ponto Cruz

Além de ensinar a minha afilhada a bordar ponto cruz nesse Natal (meu melhor presente), eu fiz esse quadrinho aqui em 2011, para enfeitar meu ateliê recém conquistado. Depois, acabou ganhando lugar de destaque no meu quarto até o ano passado. Agora, quero encontrar um novo local pra ele!

A post shared by Katia Linden (@katialinden) on

Sashiko

Aliás, já que estou falando em bordado, para não dizer que não bordei nos últimos anos, não posso esquecer que em 2014 eu aprendi a bordar com a técnica japonesa do Sashiko e acabei produzindo algumas peças que adorei! Teve uma almofada, a colcha do Noah, o saquinho para a manta do Hiro!

Em 2018 eu quero fazer os outros módulos, além de conferir outras aulas com pessoas que adoro, então me aguardem com mais bordados!

Meu quarto: quando uma colcha em Patchwork enfeita um cômodo muito craft e atual!
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Cem Dias de Bordado

Não sei se vocês já conheciam, mas acabei de descobrir o Clube do Bordado. Foi sem querer, procurando vídeos sobre diferentes pontos de bordado que eu queria tentar.

O Clube do Bordado é composto por um grupo de amigas que se reúnem para bordar e elas têm um canal no youtube onde postam vídeos com tutoriais sobre diversos pontos de bordado.

Cem Dias de Bordado

Estava procurando o ponto haste quando encontrei um vídeo delas e foi super fácil aprender. Vi que algumas amigas minhas estavam inscritas no canal e participando de um desafio: os cem dias de bordado.

A Sil me mandou o vídeo do desafio:

(Link para o vídeo)
Decidi participar por vários motivos: o vídeo fala de criatividade, como uma característica que todos temos, que precisa ser exercitada e eu acredito muito nisso. Além disso, estava sem muita coragem para costurar, não sei se é calor, se é cansaço, fato é que estava passando por uma fase sem costura e fica muito difícil para mim levar a rotina sem um trabalho manual.

Muitas pessoas me perguntam como é que arrumo tempo para bordar. Não arrumo tempo, bordo um tantinho por dia, faço quando e o quanto der para fazer. É importante para mim, é terapêutico. Mantém minha mente oxigenada e minhas mãos trabalhando, enfim, não consigo viver sem!

Então, no último dia 21 de janeiro, comecei o desafio dos cem dias de bordado, bem satisfeita e estimulada, com muita vontade de dar conta desta tarefa. Desde então não parei mais e hoje vim aqui mostrar a produção até o momento!

(Clique em uma das fotos para abrir a galeria!)

Bordados para presentear

Ah! Outro detalhe: decidi que darei todos os bordados que produzir neste desafio. Alguns deles já viraram presentes para amigas queridas, outros estão ainda comigo, mas vou oferecer assim que possível.

Acho que é uma forma de dar carinho, sabe? Tudo a ver com esse desafio!

Crafts e o Verão: Lidando com o calor (e com o suor nas mãos)
Reaprendendo a bordar com o Clube do Bordado
A manta do Hiro: Saquinho em linho com bordado em Sashiko!

Olá!

Continuando a mostrar o presente que fiz para comemorar a chegada do pequeno Hiro (o primeiro post é este), após terminar o trabalho em tricô e arrematar em crochê, fui bolar uma embalagem que ajudasse no transporte (o presente primeiro viajou pelos correios até chegar no interior de SP, depois fez uma looonga viagem de avião até San Francisco). Queria também que a embalagem pudesse ser reaproveitada depois, por isso decidi fazer um saquinho organizador bem caprichado.

Fazendo o Saquinho de Tecido

O modelo escolhido foi este que a Costureirinha ensinou recentemente em seu canal do YouTube:

Ao conferir os diferentes tamanhos do saquinho na descrição do vídeo, vi que até mesmo o maior deles não acomodaria a manta de tricô. Então resolvi fazer a minha peça conforme as medidas abaixo (que já incluem as margens de costura de 1cm):

Parte externa:
Tecido para a barra superior – linho cru com bolinhas azuis – 2 retângulos medindo 22x47cm
Tecido para a parte inferior – linho azul – 2 retângulos medindo 42x47cm

Forro:
Tecido estampado de algodão – 2 retângulos medindo 62x47cm

Fita (usei fita de cetim branca): 2,30m

Parte superior do saquinho, com a fita de cetim para fechar ao puxar as pontas…

Aqui dá para ver o forro!

Bordado em Sashiko

Assim que defini as medidas do saquinho, cortei as partes e, antes de iniciar a costura, fiz o bordado em Sashiko. Acabei adotando o mesmo jeito de escolher o que bordar que eu usei para escolher o bordado da colcha no Noah: vi as sugestões de bordado para o verão de um dos livros e vi a execução e o significado no outro.

Do livro que está em cima (Sashiko Zakka by Hideko Onozaki – Japanese Traditional Embroidery Stitch Pattern Book) veio a ideia de que padrão usar e do livro que está embaixo (The Ultimate Sashiko Sourcebook) eu encontrei o desenho no tamanho que eu precisava e o significado dele.

Escolhi bordar o Seigaiha, que significa “blue ocean waves” ou “ondas do oceano azul”. Perfeito para um mocinho que vai nascer no verão da Califórnia, não é?!

Bordado em progresso. Transferi o desenho para o tecido usando papel carbono para tecido.

Parte de baixo do saquinho já bordada.

Saquinho pronto!Ficou como eu tinha imaginado!

Os dois cortes de linho são da Le Petit Atelier (comprei na última Mega Artesanal), o forro é de um algodão fininho da Niazi Chohfi (fiz uma calça de ficar em casa com parte deste tecido, tem fotos dela aqui) e o bordado em Sashiko foi baseado nestes livros aqui.

A manta coube com folga no saquinho, mas não achei que ficou sobrando, sabe?

Presente feito com muito amor e pronto para seguir viagem!

Por fim, coloquei um cartão escrito à mão e fechei o pacotinho com uma faixa de papel craft (o queridinho das modelistas, rs) carimbado, mas esqueci de fotografar, rs!
E, para encerrar este post, mais uma música que dedico ao pequeno Hiro!


Porque a gente gosta de se divertir e californianos fazem isso muito bem!

Este foi um dos projetos que mais gostei de ter feito nos últimos tempos. É uma forma de estar presente num momento tão especial quanto a chegada do filho de amigos tão amados! Espero que eles gostem e usem bastante!

Atualização: Hiro nasceu no último sábado, oba! Mamãe e bebê estão super bem!

Beijos!

Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno