Costuras da Semana!

Olá!

Agora que eu desabafei como tem sido os meus últimos dias (passando bastante tempo em casa e cuidando do meu filhote que foi operado – aliás, obrigada pelas mensagens de carinho, todos nós aqui ficamos muito felizes!), fica mais fácil falar das costuras que andaram por aqui.

Continuar os trabalhos da colcha foi realmente um bom jeito de manter as mãos ocupadas e ainda conseguir ficar de olho nos meus meninos. Além de fazer muitos hexágonos brancos, comecei a unir as primeiras rosetas com eles.

Ainda nem acredito que finalmente existe um pedaço da minha colcha!

Aproveitando que o marido está de férias e pode também ficar de olho nos meninos um pouco, no final da semana cortei mais uma alpargata e também cortei uma calça de pijama. Espero conseguir costurar nesta semana.
Coisa engraçada: sempre que eu compro um tecido sem ter um projeto definido para ele, eu compro pensando em fazer um vestido. Mas, nossa, meu armário não tem lugar para mais nenhum vestido. Para dar uma ideia, se eu estiver com todas as roupas lavadas e passadas, algumas peças ficam de fora do armário porque simplesmente na parte do cabideiro não cabe tudo.

E nesta fase de peso em queda (eeehhh!) é complicado fazer faxina no armário, pois eu ainda quero emagrecer mais e não dá para determinar agora o que fica e o que sai.

Por isso, é muito duro para mim (rs) mas eu estou tentando mais uma vez desviar minha atenção dos vestidos. Então a peça da vez vai ser uma calça de pijama mesmo, mas com o desafio do projeto vir de um livro em alemão que comprei.

Projeto fácil em idioma complicado, para dar uma emoção e uma treinadinha, rs!

Por enquanto é isso.

Beijos e boas costuras!

5 Anos de Blog – Minha Manta de Retalhos está de volta!
Como fazer toalhas de mesa!
Vivendo um dia de cada vez

Olá!

Eu sou uma pessoa que gosta de planejar a semana, preencher de maneira equilibrada os horários, pensar em como aproveitar bem as férias, os finais de semana, os shows que quero ir, as coisas que quero costurar, assim como os dias ditos comuns. Até um tempo atrás, quanto mais cheia a agenda eu achava que era melhor, mesmo que eu ficasse acabada no fim do dia.

Em novembro, iniciei um tratamento médico intensivo para emagrecer e desde então eu planejo os meus dias com menos antecedência.

Eu passei muito mal no começo, principalmente no primeiro mês, e por isso precisei faltar ou adiar alguns compromissos. Depois tudo foi voltando à normalidade mas eu já tinha me acostumado a fazer as coisas em outro tempo e priorizar o que era mais importante (inclusive reservar um tempo razoável para cuidar da minha saúde).

Ainda assim, tinha comprado em setembro ingressos para o show do Foo Fighters que aconteceu agora em janeiro. Comprei também passagens para viajar de férias logo em seguida (por isso a jaqueta bomber costurada recentemente). Uma semana antes destes eventos, o Astor – meu cachorro mais velho – passou muito mal.

Corremos pro veterinário, fizemos exames, até que veio a notícia que o que ele tinha era grave e tinha que ser operado com urgência. A notícia veio no dia do meu aniversario de 8 anos de casada, que não tivemos cabeça para comemorar como de costume, mas não esqueci de me sentir muito grata por estarmos juntos por tantos anos, mesmo que dessa vez a data tenha sido difícil.

De novo, eu tinha que viver um dia de cada vez. O dia de operar, primeiro dia de internação, segundo dia de internação, a volta pra casa (obrigada, Senhor!), os cuidados diários, os retornos pós-operatórios.

Por ele estar com uma cicatriz grande e por morarmos num sobrado, acampamos na sala de novo para que o Astor não subisse as escadas. E revezamos as saídas para que ele não fique sozinho.

Fomos ao show do Foo Fighters graças à ajuda do meu cunhado, que ficou de olho nos meus meninos. Não fomos viajar, não fomos ao aniversário de uma das pequenas da família, não fomos andar de bicicleta no domingo, faltei algumas vezes no Pilates.

Não temos TV na parte de baixo da casa. Nosso acampamento na sala baseia-se em: nós quatro (eu, marido, filhote recém-operado e filhote mais novo), roupa de cama, um telefone fixo, uma vitrola e um tanto de discos, dois celulares e, eventualmente, um notebook para vir dar um sinal de vida aqui no blog.

Deixei na sala a minha caixa com os materiais da colcha de hexágonos e o marido deixou uma guitarra para treinar um pouco. E aí você se dá conta que realmente “menos é mais”.

Em um dos dias em que fui visitar o Astor, ele estava bem melhor (e acabou tendo alta no final do dia). Voltei para casa ouvindo esta música que diz muita coisa sobre estarmos (ou não) fora de perigo, sobre superação. Chorei um bocado neste dia e nos anteriores também.

“In the Clear” – Foo Fighters

E aí você também se dá conta que temos mesmo que viver um dia de cada vez. Para mim, acordar pela manhã na sala e ver meus três amados bem e ter a minha caixa com hexágonos para costurar me basta. Ver o meu anjinho em forma de cachorro cada dia melhor é a grande alegria dos últimos dias. E assim os dias passam por aqui, por isso o ritmo de costuras anda mais lento, ainda que não tenha parado totalmente.

Flagra do marido em um dos poucos momentos “fugidos” no andar de cima de casa. Se eles estão felizes eu também estou.

Um beijo e um bom dia de cada vez pra todo mundo!

A volta às costuras depois de um ano
Um novo armário handmade para uma nova fase
Costuras da Semana!

Olá!

Até metade da semana passada, com o verão insano que está em curso, a gente aqui em casa teve que fazer algumas modificações na rotina: montamos acampamento na sala, pois a parte de cima da casa está praticamente inabitável, rs!

Com isso, arrumações e costuras no meu quartinho estavam impossíveis. Costurar na cozinha também não deu muito certo, tanto que depois que terminei a jaqueta, devolvi a máquina ao seu lugar de sempre lá no quartinho.

Com o ar condicionado de rodinhas e o circulador de ar ligados na sala o tempo todo, onde os cachorros têm espaço para se espicharem no chão frio e a gente consegue deitar sem se grudar um no outro (chato isso, né?!) eu me dediquei à alguns trabalhos de computador ligados ao blog (**novidades para o futuro**) e, quando terminava o “expediente”, eu ficava com aquela sensação de não ter o que fazer. Na verdade era hora de costurar e eu não estava conseguindo sair do lugar.

O jeito de resolver foi apelar aos trabalhos manuais. A eleita para tardes em frente ao ar condicionado de rodinhas foi a retomada da minha colcha. Quem quiser acompanhar toda a saga da colcha, de quase 2 anos de idas e vindas, é só clicar aqui.

É chato ter que suspender os planos de costura que eu tinha para estes meses de férias, mas ter algo em andamento já me satisfaz um bocado. Até porque é um projeto muito querido para mim, apesar de ser longo. Saldo de hexágonos brancos até o momento: 139 (de 536).

Quando o tempo refrescou um pouco, cheguei a começar a bolar uma saia rapidinha, mas não consegui porque o tecido que eu queria usar não era o mais apropriado para o projeto, hehehe. #quemnunca

Fora esta coisa toda do calor, a última semana foi uma loucura aqui em casa, mas não sei se ainda consigo contar por aqui. Agora que as coisas estão acalmando, eu vi que manter as minhas mãos ocupadas fazendo a colcha me ajudou muito.

Espero ter mais para mostrar na próxima semana
Beijos e boas costuras

5 Anos de Blog – Minha Manta de Retalhos está de volta!
Como fazer toalhas de mesa!
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: feminista, mãe de cachorros, tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno