Look do dia: Regata de crochê e quimono de seda!

Bem que esse post poderia chamar: look da formatura, rs! Sim, eu estava assim no último dia da formação em Consultoria de Estilo (contei mais aqui). O mais legal é que eu combinei peças que eu adoro e que eu nunca tinha usado juntas.

Look do Dia

Tanto a regata quanto o quimono já apareceram aqui no blog (aqui e aqui), mas nenhum dos looks anteriores valorizaram tanto estas peças. Estava me sentindo ótima neste dia, pela ocasião de concluir uma formação que eu queria muito fazer, pelo fato que estava amando estar com esta roupa, tanto pelo conforto quanto pelas cores e pela mistura das texturas de cada uma das peças: a seda fluida do quimono, o crochê da regata e o plissado da saia.

Uma coisa que eu nunca tinha notado também é que o lilás discreto da estampa floral do quimono batia certinho com o lilás da regata de crochê… Aí essa mistura toda de texturas fica mais conectada, sabe?

Lilás do quimono conectado com o lilás da regata (que amor)!

Regata em Crochê: projeto da professora Solange, nas aulas da Novelaria. Fio Malabrigo Baby Silkpaca (70% Baby Alpaca e 30% Seda) na cor Periwinkle. Mais fotos aqui.
Quimono de Crepe de Chine: Tecidos liso e estampado da loja Texprima. Molde da revista Burda portuguesa de 02/2012. Mais fotos do quimono aqui.
Saia plissada: American Apparel
Espadrilles: Cervera

Formada e feliz!

Mais algumas imagens deste dia tão especial!

Quimono versátil

Eu sempre tive uma preferência por roupas mais estruturadas e com modelagens mais próximas do corpo e, por conta disso, este quimono era usado bem menos do que deveria. Um olhar mais carinhoso pra ele tem rendido combinações especiais e diferentes entre si!

Em 2014, meio desajeitada com o quimono larguinho, rs!

No carnaval 2017, mais à vontade!

Que bom que agora estou usando mais este quimono e que o “look da formatura” ficou especial como eu queria!

Formação em Consultoria de Estilo!
Meus 10 anos de costuras – Mantendo este blog desde 2013!
Formação em Consultoria de Estilo!

Depois destas pequenas férias, que aproveitei para descansar um pouquinho e para fazer algumas manutenções necessárias na plataforma do blog, estou de volta para contar uma novidade: acabei de fazer uma formação em consultoria de estilo!

Eu sempre “namorei” esta formação, mas eu não entendia como transformá-la num trabalho que estivesse conectado com este universo handmade que eu amo tanto!

Se fosse para aprender um método só para aplicar em mim mesma, seria mais efetivo eu contratar uma consultoria de estilo, certo? Mas a jornada toda de estudos deste ano me ajudou (e olha que ela ainda não acabou) a juntar as peças deste quebra-cabeça profissional, ufa!

Foi bem no intensivão de estudos do Decola Lab (preciso contar mais sobre ele também, né?!) que as queridas Fê, Cris e Kamimi da Oficina de Estilo abriram uma turma de formação em consultoria. Confesso que me joguei, mesmo que com medo, e agora estou super feliz com a decisão tomada!

Oficina de Estilo

Eu acompanho o trabalho da Oficina de Estilo há anos, já comentei sobre o livro delas que comprei e usei bem, em 2013 e como acredito na metodologia delas: focada nas pessoas (não em moda ou modismos), sem encaixar ninguém em “caixinhas” restritivas, levando em conta as prioridades de vida e de alma de cada uma (ai que demais!).

Então, se era para eu atuar nesta área, tinha que ser com este método. Tudo que aprendi ao longo dos anos com elas ajudaram tanto na minha jornada de auto-conhecimento, por que não aprofundar este estudo e direcioná-lo para atender outras pessoas, não é?

A formação

Foram 6 dias intensos de conteúdo e de vivências com as outras consultoras da turma. Conhecemos profissionais da área com experiências variadas e, na minha opinião, o maior aprendizado – junto com as técnicas – foi entender que não é sobre nós mesmas, e sim sobre a pessoa que estamos atendendo. Não importa mais o nosso gosto pessoal (que a gente costuma usar muito para dar palpites) e sim o que a cliente precisa para se vestir com autonomia, conforme a vida que leva e os desejos que tem em relação ao que quer comunicar para o mundo.

A vida da gente não deve girar em torno das roupas e sim viver uma vida em que as roupas ajudem a transmitir quem a gente é. Vestir-se e depois ir viver a vida sem pensar mais na roupa (já que ela veste a gente bem, deixando a gente linda, transmite o que a gente quer, está adequada à vida que a gente leva) é o resultado entregue no processo.

Eu sempre acreditei neste conjunto todo de valores e fiquei feliz demais por ter confirmado isso ao fazer esta formação! Aqui, alguns cliques da ODE durante a semana da formação!

Consultoria de estilo: é pra mim?

Sim! A consultoria de estilo é para todo mundo que quer facilitar o vestir e ficar preparado para escolher o que e como vestir com segurança sozinho depois! Não precisa ser celebridade ou executivo de multinacional nem precisa viver um processo traumático como o que a gente vê nos programas de TV em que a pessoa é denunciada por alguém e tem que jogar o guardarroupas todo fora.

A consultoria acontece de maneira conjunta com a cliente e com alguns encontros presenciais é possível identificar o que é importante para a cliente, aproveitar bem o que ela já tem no armário (tá vendo, nada de jogar o armário todo fora!), identificar as cores que mais combinam com ela, bem como compreender seu tipo físico e assim montar uma proposta de identidade visual que servirá como um guia para as etapas seguintes, que são bem mão na massa!

A etapa de revitalização do guardarroupas ajuda demais a entender o que fica, o que sai e o que precisa entrar (se for o caso) e a experiência em lojas ajuda a conhecer e entender modelagens, tecidos, caimentos e como as cores podem ser usadas. E tem que sair comprando tudo novo, loucamente? Não se a cliente não quiser/precisar!

No final, após uma etapa de montagem de looks, a cliente terá um armário mais conciso em que as peças combinam bem entre si e que combinam demais com ela mesma! Como este processo é feito em conjunto, a cliente aprende a exercitar estas escolhas e combinações para seguir adiante! Sucesso, né?!

E onde eu entro nisso tudo?

Com a formação em consultoria, mais os conhecimentos em costura, modelagem e afins, quero direcionar este trabalho para quem quer costurar a própria roupa mas não sabe por onde começar, para quem quer conhecer melhor os tecidos e projetos/moldes que combinem com o que já está no armário, com o tipo físico, com a vida que leva.

Eu fui muito bem auxiliada nesse sentido nos tempos em que fiz aulas de corte e costura com a Lurdes, mas mesmo assim já costurei peças lindas isoladamente, mas que não combinam com o que tenho no armário ou que não combinam comigo ou com a vida que eu levo. Aí que “caiu essa ficha”, sabe?

Então eu serei a consultora de estilo para quem também quer fazer as próprias roupas, para quem quer consumir uma moda mais autoral, para quem quer mostrar da melhor forma seu lado criativo e handmade!

Colocando em prática

Por mais que o aprendizado todo seja voltado para atender outras pessoas, não tem como não passar a olhar para as próprias roupas com um olhar diferente! Tenho me divertido muito ao combinar roupas lindas minhas que nunca tinham sido usadas juntas!

Depois que eu fiz uma análise de coloração pessoal (que é uma das etapas da consultoria) há um ano, muita coisa já mudou em relação ao que costurei/tricotei/crochetei… Imagina com uma consultoria completa? Isto também está nos meus planos e eu quero mostrar como é ser cliente da consultoria de estilo em um formato muito legal! Aguarde e confie!

E o blog? Como fica?

Então, esta minha casinha virtual continua do jeito que está! Aqui eu coloco de maneira muito pessoal as minhas costuras, manualidades, meu armário cada vez mais handmade, minhas vivências nas viagens, cursos e lojas.

Este novo trabalho, voltado para quem ama/quer colocar a mão na massa, está sendo estruturado e ganhará uma casa própria em breve. Eu vou contando as novidades por aqui, sem falta!

O interessante disso tudo é que agora eu entendo com mais clareza porque eu nunca quis produzir para vender, como é mais fácil costurar sabendo mais sobre tipo físico (tem depoimentos meus aqui e aqui) e por que ensinar sempre me pareceu uma boa opção!

Um dos resultados do trabalho na consultoria de estilo é que a cliente esteja treinada para que ela faça suas próprias escolhas, então sim, vou continuar nesta atividade que tanto gosto!

Vou preparar uma newsletter para enviar conteúdo exclusivo a respeito destas novidades todas por email também! Se você tiver interesse em receber, deixe seu email nos comentários deste post para eu já incluir na lista!

Eu estou tão feliz!

Espero que você continue a acompanhar e, quem sabe, não trabalharemos juntas em breve?

Livro do Mês – Vista Quem Você É
Consultoria de Estilo: (Re)encontrando as minhas cores com a Ana Soares!
Meus apetrechos de tricô e crochê

Eu aprendi os primeiros passos do do tricô com a Claudia e a Andrea, do Superziper, em junho de 2014. Foi um encontro para celebrar o dia mundial do tricô (tem post delas, com muitas carinhas conhecidas do nosso mundo craft, aqui) e saí de lá com bastante vontade de continuar tricotando. Um tempo depois, com uma certa dificuldade, terminei meu primeiro cachecol.

Mais ou menos um ano depois, resolvi retomar a técnica com aulas semanais na Novelaria. Desde então, nunca parei!

Como sempre digo, devagar e sempre, as novas peças têm surgido desde então e hoje resolvi mostrar as ferramentas de tricô e crochê que passei a ter, vamos conferir?

Agulhas de tricô

As minhas primeiras agulhas de tricô foram as convencionais, as duplas de “palitinhos”. Não tenho muitas, na verdade. Hoje em dia elas mais enfeitam o meu ateliê em uma lata de chocolate, mas eventualmente ainda uso.

Agulhas de tamanhos diversos, em bambu, plástico e metal.

No ano passado, comprei um jogo de agulhas circulares da Addi, uma marca alemã maravilhosa. Elas vão dos 3mm até os 8mm, são mais curtinhas – boas para trabalhos pequenos como gorros – e você coloca o cabo do comprimento que for mais conveniente para o seu trabalho. Com elas, eu tricoto praticamente tudo, até mesmo o que não é circular. É só não fechar o tubo e ir virando o trabalho ao final da carreira da mesma forma que fazemos com as hastes.

Acaba sendo um recurso muito útil para trabalhos que ficariam muito apertados se fossem feitos com as hastes, quando possuem muitos pontos, por exemplo. Ajuda muito também quando as peças vão ficando longas, pois o peso da peça fica concentrado no cabo, cansando menos ao tricotar. Por esses motivos, eu recomendo muito usar agulhas circulares!

Tenho algumas outras agulhas circulares com os cabos fixos, que não fazem parte deste conjunto, mas bem parecidas com estas. Acabam sendo tão úteis quanto as agulhas acima. Fui comprando à medida que eu fazia os projetos, enquanto eu ainda não tinha o conjunto que eu tanto queria.

Agulhas de crochê

As minhas primeiras agulhas de crochê ainda existem e estão comigo até hoje! São todas de metal e bem fininhas, pois eu fazia muitas peças com fios mais finos.

Hoje em dia, as agulhas com cabos emborrachados ajudam muito a não cansar as mãos e também a não marcar os dedos.

No ano passado, comprei a minha primeira agulha com cabo emborrachado quando estava terminando a manta do Hiro (post aqui). Aí vi que seria uma boa ter mais agulhas assim.

Resolvi então comprar um bom conjunto de agulhas de crochê com cabo emborrachado, as minhas são da Tulip, marca japonesa mas que comprei na França (post aqui). Aqui no Brasil existem opções muito boas também!

Ferramentas extras

Neste período, fui montando um estojo com outras peças que são bem úteis ao tricotar ou fazer crochê, mostro tudo nas fotos abaixo!

Bolsa handmade

Para levar os meus apetrechos e projetos de tricô ou crochê para a aula, coloco tudo nesta simpática bolsa que costurei faz tempo, com um projeto do livro “Costure!” da Cath Kidston. No fundo dela cabe direitinho as agulhas longas de tricô, além de ser uma fofura!

A costura com Patchwork que leva o tricô e o crochê!

E você? Tem se dedicado a alguma técnica manual atualmente? Fica namorando as ferramentas assim como eu?

Como foi o Me Made May 2021 – Mês de maio com roupas feitas por mim
Meus 10 anos de costuras: as costuras de 2012 e início de 2013!
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: feminista, mãe de cachorros, tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno