Minha consultoria de Estilo: a (r)evolução do meu vestir!

Quem me acompanha há mais tempo aqui no blog sabe o quanto eu sou fã das meninas da Oficina de Estilo. Lá em 2013 eu comprei o livro “Vista Quem Você É”, da Cris e da Fê (post aqui), e lembro de ter feito uma bela “limpa” no meu armário baseada no que eu havia aprendido com o livro e também ao acompanhar o conteúdo que elas sempre fizeram, contei neste post aqui.

Como dá pra ver, o assunto de consultoria de estilo sempre me interessou, assim como consumo e costuras mais conscientes, pois o resultado final é algo que eu sempre quis: ter um armário com roupas que atendam o que eu preciso para a minha vida e para a minha alma, que combinem bem entre si e que combinem comigo!

Quando a roupa tá legal, já reparou que a gente vai viver a vida sem ficar pensando nela? Pois bem, é isso que eu quero cada vez mais pra mim, sabe?

Eu já tinha tido um “gostinho” do que era ser cliente de uma consultora de estilo quando fiz a análise de coloração pessoal com a Ana Soares no ano passado (post aqui). Se só com esta etapa já tinha mudado tanta coisa, imagina com uma consultoria completa?

Por que eu resolvi fazer a consultoria

Quando eu estava fazendo a formação em consultoria de estilo (também tem post, aqui), já estava nos meus planos fazer a consultoria como cliente. Os meus motivos eram:

  • ver o processo todo, como funciona, estando na posição de cliente;
  • ter mais uma fonte de aprendizado para aplicar na nova carreira;
  • ter um olhar não-viciado de outra pessoa em relação ao meu armário e em como eu quero deixá-lo;
  • ter um empurrãozinho de alguém para desapegar do que não tinha mais a ver comigo, principalmente em relação às peças que eu mesma fiz, por terem suas histórias únicas;
  • para poder entregar verdade nessa nova etapa profissional (ou seja, de que adianta eu vender este serviço se eu mesma não experimentei o resultado dele?)

Vou contar um tiquinho como funciona, para dar uma ideia, tá?!

Etapa Investigativa

A consultoria de estilo começa com a investigação. A cliente fornece informações para a consultora basear seu trabalho. Então, para entregar algo bacana para a consultora trabalhar, a gente (cliente) acaba pensando sobre o que levou a gente até a consultoria, o que a gente quer vestir, o que não quer mais, quais são nossas referências, nossas prioridades, como é o nosso cotidiano…

Eu tinha um tanto disso em mente e já estava procurando focar mais ao escolher as minhas compras de materiais, as costuras e manualidades. Queria refinar algumas mudanças que eu já estava promovendo por aqui e acabou sendo um ótimo exercício de autoconhecimento (mais uma vez ele, oba!).

Além de bate papos, reunir referências visuais e afins, nessa parte também são feitas as análises mais técnicas, como de tipo físico e de traços do rosto e análise de coloração pessoal.

Foto: Sharon Eve Smith

Etapa Teórica

Com as informações todas em mãos, a Cris (minha consultora) me apresentou uma Proposta de Identidade Visual. Ela é um plano de ação para as etapas seguintes, tanto em relação aos tipos de peça que vamos dar atenção quanto a materiais, cores e caimentos. Tudo isso vai transmitir a mensagem pretendida identificada na etapa anterior!

Etapa Prática

Sim, agora é mão na massa! Com base na Proposta de Identidade Visual, primeiro é feita a Revitalização do Guarda Roupas. A gente viu todas as peças, acessórios, calçados e, no meu caso, meu acervo de tecidos também!

Além de selecionar o que fica (porque o bom é aproveitar bem o que a gente já tem), o que saiu já tinha um destino certo: doação, venda no Enjoei – a minha lojinha já está no ar!, lavanderia, consertos ou ajustes, além das que eu fiz peças e tecidos que não vou usar que vão para um bazar especial – aguardem!

“Sai”, “fica”, “sai”! Momento de definir como ficará o armário!

Nesse momento, separamos algumas peças que podiam ser modificadas, ganhando um novo fôlego e também um novo jeito de usar. São estas que vão aparecer nos looks dos próximos posts, tudo atendendo a minha Proposta de Identidade Visual (que estou apaixonada desde que vi pela primeira vez)!

Acabamos de fazer a etapa de Experiências em Lojas. Minha consultora selecionou lojas de roupas, calçados e acessórios e lá provei muitas peças. O intuito principal é aprender vestindo o que estava na teoria! Acabei fazendo algumas boas compras e também saí desta parte com ideias bem concretas do que costurar! 

Agora falta só a etapa final de Montagem de Looks, mas aí eu volto para contar!

Um Armário Renovado

Mesmo ainda não tendo concluído a consultoria, já aprendi muita coisa e já estou aplicando. O processo de vestir está ainda mais gostoso e mais rápido, pois agora só tem no armário o que tem a ver comigo e com a minha vida.

Algumas peças antes esquecidas agora estão sendo usadas e novas combinações também já estão rolando! Estou me sentindo mais leve, sabe?

Além do que eu já tenho de novidade prontinha para mostrar nos posts seguintes, certamente mais coisas novas vão surgir. Aliás, estou doida para voltar a costurar e mostrar tudo por aqui!

Você me acompanha? 

Livro do Mês – Vista Quem Você É
Consultoria de Estilo: (Re)encontrando as minhas cores com a Ana Soares!
Eu assisti: “O Tempo Entre Costuras” na Netflix!

Faz tempo que eu li o livro “O Tempo Entre Costuras”, fiz até um post sobre ele em 2014 (aqui). Dia desses, notei um burburinho no meu Facebook pois alguém tinha encontrado este romance maravilhoso em forma de série na Netflix!

A série

Assim que pude, fui assistir e não me decepcionei! Achei ótima a ideia de transformar o livro em uma série, assim não se perdem detalhes que fazem toda a diferença no livro!

Eu já me decepcionei algumas vezes quando fui assistir a filmes inspirados em livros por terem cortado partes importantes, sabe?

Mas, ao longo dos 17 episódios, você vai vendo a história toda lá, uma maravilha! E tão envolvente quando o querido livro! Tanto que eu planejei ver um episódio por dia, mas acabava vendo uns três de uma vez só!

Trailer

Achei um trailer legendado no YouTube, então se você ainda não conhece a história de Sira Quiroga, já dá para ter um gostinho!

(Link para o vídeo)

Recomendo muito!

Como o livro é bastante detalhado, lembro de imaginar nitidamente enquanto lia como eram os locais, as pessoas, os ateliês de costura, as peças produzidas… E foi uma gostosa surpresa ver tudo isso na série, além da beleza dos anos 30 e 40!

Faz tempo que li o livro (aliás, agora que quero reler, já está na fila) mas, enquanto assistia os episódios, ia me recordando dos personagens, situações e até alguns diálogos, uma delícia!

Então, recomendo duplamente: se você leu o livro, não deixe de ver a série; se você não leu, recomendo os dois!

Bora curtir “O Tempo Entre Costuras”?

Livro do mês – O Tempo entre Costuras
Look do Dia: Vestido que virou Saia Midi!
Aventuras em crochê: fazendo o xale vírus!

Essa semana encontrei vários xales no instagram com um nome muito curioso: vírus!

Fonte: https://www.instagram.com/explore/tags/virusschal/

Isso mesmo, achei o nome muito estranho. Mas, desde o primeiro que vi, fiquei apaixonada e com muita vontade de fazer um para mim.

Escolhendo o fio

Sou iniciante no crochê e apanho demais para fazer, mas esse xale foi um daqueles projetos irresistíveis, então fui até a 25 de março para comprar um fio para esse projeto.

Uma das coisas que mais me chamou atenção neste projeto foram as cores… que coisa mais linda usar a linha matizada ou, melhor ainda, misturar fios de diferentes cores fazendo um projeto único!

Fui para a loja com essa intenção, encontrar alguns tons e combiná-los, mas tenho que ser a chata e desabafar com vocês: temos muito poucas opções de cores e qualidades de fios aqui no Brasil. Não que eu conheça muito dos fios no exterior, mas pelos projetos que mostrei acima dá para der uma clara idéia da diversidade de cores, né?

Além disso, dá para reparar no brilho e na finalização dos trabalhos, isso aponta a qualidade, ao menos na minha opinião.

Como não encontrei os quatro tons que gostaria, resolvi comprar um fio matizado em verde – Dois novelos da linha Anne 500, da Círculo, na cor verde mesclada nº 9392 – e começar o projeto.

Fazendo o xale vírus, de crochê

Buscando na internet, descobri que existem muitos, milhares de projetos do xale vírus, inclusive um tutorial em 5 vídeos para canhotos (tem para destros também!).

Comecei a assistir e adorei, é super bem explicado. Como vai devagar, consegui ir acompanhando (e pausando, claro!) e fazendo o meu.

Mas eu me perco muito no crochê, errei uma centena de vezes e desmanchei outra centena. Foi aí que comecei a ficar chateada com o fio… ele vai ficando feio, perdendo o brilho de tanto desmanchar e crochetar de novo.

Depois de pegar o jeito da receita (esta aqui), decidi parar de ver o vídeo e tentar seguir o gráfico, aí me dei muito melhor.

Gráfico do xale vírus

Talvez seja porque treinei muito com o vídeo, mas preferi e me dei melhor com o gráfico.

Salvei no celular e levo o projeto na bolsa para todo lado, não vejo a hora de terminar e usar!

Claro que já estou pensando em fazer outro, com vários fios mais especiais, mas isso fica para uma próxima vez!

Minha consultoria de Estilo: a (r)evolução do meu vestir!
Eu assisti: “O Tempo Entre Costuras” na Netflix!
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, ciclista, praticante de Pilates, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Formação em Consultoria de Estilo!
Novidade: Livro “Costura Fácil” da Burda Style!