Minha Máquina de Overloque – Singer Ultralock 14SH754 – Primeira vez na Assistência

Faz tempo que eu não faço um post sobre a minha overloque, né?! O último foi este aqui, quando completou 2 anos de uso. Aliás, neste post deixei dicas que deram certo para mim e respostas para algumas dúvidas frequentes, vale conferir!

De volta pro meu aconchego de costura.

Na verdade, não teve mais post sobre a máquina depois de 2016 porque tudo andava bem por aqui, sem nenhum problema ou novidade. A minha Encantada desde o começo tem costurando de tudo um pouco, normalmente! A minha Singer Ultralock está às vésperas de completar 4 anos aqui em casa e permaneço satisfeita!

Mas, dia desses, rolou um pequeno acidente durante o conserto de um vestido meu e eu resolvi fazer este post para contar.

Xi, desregulei a máquina!

Sim, estava refazendo a costura de um vestido (este aqui), da união da parte de cima com a saia do vestido. Como ele já tem acabamento feito, levantei a faquinha da overloque pois não precisava refilar os tecidos.

Nessa parte que eu estava refazendo a costura, tinha duas camadas da malha de rayon e um elástico aplicado com os “três pontinhos” da máquina doméstica.

Num dado ponto, um laçador (uma daquelas “agulhas” da parte de baixo da máquina) enroscou no elástico. Aí deu tudo errado: as duas agulhas de cima quebraram na hora e a máquina passou a fazer um barulho que não fazia antes, como se tivesse algo batendo.

Parei tudo, coloquei novas agulhas, limpei a máquina e passei todos os fios de novo. Ao costurar para formar aquela “correntinha”, vi que estava pulando ponto e o barulho continuava. Observando o funcionamento da máquina com a tampa aberta, o laçador mais à esquerda estava mesmo batendo num lugar que não deveria, tinha desregulado.

O que fazer?

Eu até encontrei o problema sozinha, mas não quis mexer na máquina eu mesma. Eu sei que é bem tentador, mas tenho receio de causar um estrago maior. Levei a uma assistência técnica da Singer, que confirmou que o laçador estava desregulado mesmo. Aproveitando, sugeriram afiar a faquinha, achei uma boa fazer isso depois de 4 anos de uso. Três dias depois eu estava com a minha máquina de volta.

Recebo muitos comentários, tanto sobre a overloque quanto sobre a máquina de costura relatando barulhos ou problemas diversos. É bem difícil dar um diagnóstico sem ser técnica no assunto e sem ver a máquina pessoalmente.

Quando alguma coisa dá errado na costura (mesmo com prática, de vez em quando acontece, como deu para notar), eu sempre repasso a linha toda, retiro a bobina e recoloco – no caso da máquina de costura ou repasso todos as linhas da overloque. Aproveito para limpar e lubrificar a máquina e conferir se todos os seletores estão nas posições corretas (ponto, largura e comprimento do ponto, tensão da linha). Troco a(s) agulha(s) por nova(s) se estiverem em uso há um tempo. No caso da overloque, testo também a tensão de cada um dos 4 fios. Tudo isso é simples mas pode interferir no bom funcionamento de uma máquina de costura ou de overloque. Ao final, testo a costura num retalho e, se ainda assim não der certo, pode ser um problema que a assistência técnica tenha que conferir.

Nos casos de barulhos incomuns, como o que aconteceu comigo, tem uma chance grande de ter algo desregulado ou quebrado na máquina. Eu, pessoalmente, prefiro não mexer e levar a um técnico para olhar e consertar para mim.

Ou seja, a minha primeira experiência com assistência técnica de verdade foi tranquila. Antes disso, só tinha levado a Velhinha para um bom trato e para instalar um motor elétrico nela quando a minha mãe me deu, em 2011, antes de eu sonhar em ter um blog. Ela também continua funcionando direitinho!

Portanto, se algo der errado na sua costura tente:

1. Repassar as linhas da máquina,

2. Limpar a máquina,

3. Lubrificar a máquina nos pontos recomendados pelo fabricante (uma gotinha de óleo específico para máquina em cada ponto recomendado é suficiente),

4. Trocar a(s) agulha(s) por nova(s),

5. Conferir a tensão da(s) linha(s),

6. Testar num retalho de tecido.

 

Aí, se nada der certo, aconselho procurar uma assistência técnica!

Cuidar bem das nossas companheiras de costuras faz com que a gente a tenha um bom uso por mais tempo, vale a pena!

Minha máquina de overloque – Singer Ultralock 14SH754 – 2 anos depois
Minha máquina de overloque – Singer Ultralock 14SH754 – 1 ano depois
Minha Máquina de Costura – Singer Facilita Pró 4423 – 4 Anos Depois

Mais um ano se passou costurando com a minha querida máquina Singer Facilita Pró 4423. Parece que foi ontem que ela chegou em casa! Por outro lado, ao ver toda a minha produção destes últimos 4 anos, penso que o tempo parece ter passado rápido porque as costuras foram muito produtivas!

Foto: Sharon Eve Smith

A cada ano eu fiz uma avaliação da máquina: aqui foi do primeiro ano de uso, aqui do segundo e aqui do terceiro. Em todos estes posts e comentários estão informações bastante úteis!

Mais um ano de uso

Apesar destes posts anuais terem feito muito sucesso, eu decidi que este será o último desta série, pois a Singer Facilita Pró 4423 não está mais à venda há um tempo e as suas sucessoras são diferentes.

Assim como comentei no ano passado, não tive problema algum com a minha máquina neste ano. Costurei materiais variados, dos delicados aos mais pesados, sem problemas! Se ainda estivesse à venda, permaneceria recomendando muito este modelo! Por isso, buscarei com a Singer as opções que substituem a 4423 à altura e vou preparar um post em breve!

Então, para ajudar neste momento, além das avaliações dos primeiros anos que linkei acima, aqui estão os pontos da minha máquina de costura (que são comuns a outras máquinas também) e um post mais recente sobre a escolha de uma máquina de costura.

Bora aproveitar bastante a nossa companheira de costura?

A Escolha da Máquina de Costura – um novo post
Minha máquina de costura – Singer Facilita Pró 4423 – 3 anos depois
Minha máquina de overloque – Singer Ultralock 14SH754 – 1 ano depois

Olá!

Já tem um pouco mais de um ano que comprei minha máquina de overloque, carinhosamente chamada de Encantada, rs!
Assim como já fiz com a minha máquina de costura (aqui e aqui), estou aqui hoje para contar como foi o primeiro ano de uso da overloque. Acredito que seja legal para quem está pensando em adquirir uma máquina como essa ter a informação de como ela se comporta ao longo do tempo!

O primeiro post que fiz sobre a overloque, com poucos meses de uso, está aqui. Vale a pena dar uma olhada pois lá eu conto como escolhi esta máquina e também tem um vídeo muito útil na hora de passar as linhas e fios. A Ana também tem uma máquina destas e recentemente deixou as primeiras impressões dela a respeito da máquina neste post.

Bom, vou seguir os mesmos pontos que usei para avaliar a máquina de costura, acredito que assim eu não esqueça nada!

Minha Singer Ultralock 14SH754.

Instalação:

– A instalação foi bem simples e não tive nenhum problema nessa parte. No meu quartinho de costura eu deixei uma tomada exclusiva para a máquina.

Manuseio:

– O manuseio inicial não foi muito simples, mesmo que eu já tivesse usado uma overloque antes. Deixei para fazer isso depois de dar uma boa olhada no manual de instruções e no vídeo da Singer que está no outro post com link indicado acima. Atualmente já está sendo mais fácil esta parte, fui pegando o jeito.

– Os ajustes de tensão das linhas e fios eu faço conforme necessário em cada projeto, testando sempre em um retalho. Se vou unir dois ou mais tecidos com a máquina, testo desta forma. A máquina veio com um retalho escuro costurado na borda com linha branca. Ele é minha referência para ver se os pontos estão corretos ou não.

– Tenho problemas toda vez que preciso usar os fios vermelhos que eu tenho em casa. Acredito que eles não sejam de boa qualidade ou mesmo que estejam velhos. Eles quebram muito, ao contrário do que acontece com os fios de outras cores que eu usei por aqui. Para não ter fios de overloque em uma infinidade de cores (até porque precisa ter dois cones de cada cor), eu só tenho aqui em preto, natural e vermelho. Com os fios da cor natural e da cor preta eu nunca tive problemas.

Acessórios:

– A pinça que vem com a máquina é essencial para a passagem de fios e linhas, uso sempre.
– A chave de fenda bem pequena que veio junto é necessária para a troca de agulhas, que já fiz e foi bem simples.
– A única ferramenta que não usei é uma peça que serve para isolar um dos loopers (laçadores, que ficam na parte de dentro da máquina e usam fios apropriados), pois sempre deixo os dois em uso com seus respectivos fios.

Manutenção e problemas:

– Neste primeiro ano eu não tive nenhum problema com a máquina a ponto de ter que levá-la para uma assistência técnica, o que é ótimo.

– Segui o que estava no manual a respeito de limpeza e lubrificação da máquina. O processo é bem simples. Eu uso o mesmo lubrificante para todas as máquinas de casa e o pincel pequeno que veio com a Novinha eu uso para limpar a overloque também.

– Semana passada a máquina estava fazendo uns barulhos pontuais e aí uma das linhas quebrava. Depois de parar tudo para limpar e lubrificar a máquina, aproveitei para trocar as agulhas dela, o que eu nunca tinha feito. A máquina voltou a funcionar perfeitamente.

– A lâmpada nunca queimou, mas no manual explica como trocar.

Dúvidas:

– Eu tive muita dificuldade para acertar a passagem dos fios e das linhas, assim como acertar a tensão de cada um. O manual possui um bom tanto de informações, mas o vídeo da Singer e o retalho com o exemplo do ponto perfeito é que mais me ajudou. Hoje em dia está sendo mais fácil o manuseio.

Três camadas de moletom fino sendo costurados com a overloque. Usei dois fios e duas linhas.

Avaliação geral:

– A máquina é resistente, forte e muito estável, não apresentou nenhum problema.

– Não é das mais práticas para levar de um lugar a outro por ser um pouco pesada, mas possui uma alça para transporte.

– O ponto fraco inicialmente foi a passagem de fios e linhas, assim como o ajuste das tensões, mas hoje em dia não tenho mais problemas.

– Neste período costurei principalmente malhas com esta máquina, o resultado é sempre muito bom, tanto sendo malha mais fina ou mais grossa. Cheguei a costurar três camadas de malha com ela e deu tudo certo!

– Usei a máquina para fazer acabamentos de tecidos planos, normalmente passando uma camada só de tecido e deu tudo certo também. Para tecidos muito delicados, preferi usar um ziguezague fininho, mas hoje em dia eu tentaria fazer o acabamento na overloque também.

– O uso de uma máquina como esta não é tão simples quando o uso de uma máquina de costura, mas está cada vez mais fácil. A manutenção e a limpeza têm sido fáceis e a máquina atende bem o que eu procurava.

Top de moletom produzido com a overloque. Apenas os acabamento dos punhos e do decote foram feitos em outra máquina.

Espero que seja útil!
Beijos!

Minha Máquina de Overloque – Singer Ultralock 14SH754 – Primeira vez na Assistência
Os Melhores Posts de 2017!
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Recebidos Maximus Tecidos Finos!
5 Anos de Blog – Minha Manta de Retalhos está de volta!