Olá!
Este não será um post para pedir desculpas pelos sumiços daqui do blog (e esses sumiços são bem doloridos para mim, confesso). Este post é para contar para vocês que desde o final de março alguns acontecimentos meio que em seguida foram uma provação para mim, tanto física quanto psicologicamente.

Duas situações de doença na família e um acidente de carro comigo. Graças a Deus todo mundo está bem, mas foram dias muito difíceis.

E aí eu me vi comemorando que os dias voltaram a ser lindamente normais, era tudo o que eu precisava! Quando a vida voltou ao normal para nós todos, rolou uma certa correria para colocar assuntos pendentes em dia e faltou ânimo para eu escrever.

Só que quando isso acontece comigo fico realmente chateada, pois o blog é parte integrante da minha vida. Sinto que quando as coisas por aqui ficam paradas, é sinal de que preciso me esforçar mais. Felizmente, estou de volta e muito grata por estar bem.

O sentimento de estar viva e bem é algo muito presente em mim, tenho alguns momentos de paz mesmo em ocasiões super inusitadas ou que passariam batido para muita gente. Vou contar alguns exemplos recentes:
Sentindo o que é ser livre nesta cidade enorme e tão cheia de problemas ao pular carnaval com o marido no bloco que eu amo e que percorre o centro da cidade:

“Diga espelho meu, se há na avenida alguém mais feliz que eu!”

Ao percorrer estradas lindas numa viagem de sonho, me senti viva e ao mesmo tempo do tamanho de um grãozinho de areia ao fazer parte de todo aquele mundo enorme à nossa volta:

(Post sobre a viagem aqui)

Quando um show de rock te faz chorar de emoção, de alegria, de gratidão!

(Neil Young no Jazz Fest 2016 – Fonte)

E tem outras coisas que me dão esse “estalo”: ouvir meu pai animado contar sobre a vida corriqueira, dar um abraço nas crianças da família, curtir um chamego do cachorro… E voltar a costurar, tricotar e escrever com toda vontade!

Queria contar que estou de volta, aliviada, feliz e muito grata por estar aqui!

Beijos e boa semana!