Meu Ateliê – Organização de tecidos

Olá!

Tem tempo que eu conto aqui no blog que comecei uma arrumação profunda em meu quartinho de costura. Vai levar tempo para que eu possa mostrá-lo inteiro e pronto, mas uma etapa importante foi concluída há alguns dias: a organização dos meus tecidos.
Este assunto vai puxar mais alguns outros posts e acho que é legal mostrar no blog antes mesmo que meu ateliê fique pronto.
Depois que eu arrumei coragem para organizar todos os meus tecidos, o processo foi muito bacana. Então lá vai:

1. Definir onde os tecidos ficarão guardados
Eu já guardava os meus tecidos em caixas plásticas (todas iguais) numa prateleira da minha mesa de corte faz tempo, mas eles nunca estiveram realmente organizados.

A primeira parte foi definir quais tecidos iriam em cada caixa. Dividi em quatro caixas: algodão nacional, algodão importado, malhas, diversos. Têm mais outras quatro caixas que dividem espaço com elas: patchwork, ajustes e consertos, retalhos, revistas. As caixas de tecido também foram numeradas de 1 a 4.

2. Catalogar os tecidos
Comecei a abrir cada caixa e medir quanto eu tenho de cada tecido. É chato no começo, mas depois é só incorporar a rotina a cada tecido novo que chega e tudo ficará mais rápido.

Recortei um quadradinho de cada tecido e colei num cartão que contêm:
* Número da caixa
* Descrição do tecido
* Altura
* Largura
* Espaço para grampear o tecido

OBS: Aproveitei também este momento de catalogar tudo para listar as revistas que tenho na caixa e fiz uma planilha no Excel para saber o que está lá dentro.

3. Definir uma quantidade mínima
Se o tecido tem menos de meio metro e é de algodão, mandei para a caixa de Patchwork. Na caixa de retalhos, encontrei tecidos com mais de meio metro de altura, então eles foram para as caixas correspondentes.

4. Guardar os tecidos e cartões com amostras
Aproveitei esta revisão toda para tirar etiquetas (a cola pode manchar o tecido) e cortar fiapos daqueles compridos. Depois de medidos e catalogados, os tecidos estão em suas respectivas caixas e os cartões de cada caixa também são guardados juntos. Quando eu tenho um novo projeto de costura, recorro aos cartões e assim já defino o tecido para usar. No fim do projeto, se sobrar tecido, eu atualizo o cartão com a metragem atual.

Foi trabalhoso, mas agora está muito mais fácil costurar, fora que nenhum tecido fica esquecido!
Que tal? Animou para deixar seus tecidos organizados?

Beijos!

Top Posts de 2015!
Eu, pelas lentes da Sharon e a chegada aos 36 anos.
Costuras da Semana!

Olá!

Semana passada rolou mais um sumiço, né?!
Pois bem, eu justifico esse sumiço com uma palavra só: introspecção.
Fiquei um tempinho quieta no meu canto em casa, aproveitando a vontade de me recolher um pouco, junto com a desculpa do frio que tinha voltado, para tocar algumas coisas.

A inspiração habitual para escrever não estava aquelas maravilhas, então resolvi colocar a mão na massa e aproveitar o silêncio da minha casinha. Já que teve pouco post semana passada, pelo menos hoje tenho algumas coisas pra mostrar!

Na aula de Patchwork, continuamos com as lixeirinhas. A peça que tem o alfineteiro, para ficar ao lado da máquina, já está pronta e em uso!

Não é uma graça?

A lixeira de mesa está a caminho, semana que vem eu mostro!

Terminei a bolsa com alças de acrílico para carregar meus tricôs futuros. Fiz 6 blocos de listras e ficou assim:

Para a foto deixei as agulhas deitadas no fundo e meu cachecol pronto para dar ideia de volume. Cabe mais coisa ainda, rs!

Falando em cachecol… sim, dei um gás no tricô e terminei meu cachecol, ufa!

Olha a selfie nada produzida para mostrar a estréia, rs!

Como contei há alguns dias, estou seguindo o Sewalong para montar o vestido Myrtle, da Colette.
Essa semana ele começará a ser costurado e eu vou fazer em dose dupla. Os tecidos eleitos foram uma viscose com estampa PB para a versão em tecido plano e um jersey de viscose cereja para a versão em malha. Pelo cronograma, no começo da semana que vem eles ficarão prontos!

Outro projeto que estava me esperando e eu dei uma atenção foi a produção de cobertores para os animais abrigados na UIPA – União Internacional Protetora dos Animais. Ano passado eu fiz 40 cobertores de soft e este ano eu conseguirei fazer um pouco mais.

É muito bom contribuir com um projeto que a gente acredita e que sabe que vai ser útil. Ano que vem quero repetir e aumentar mais um pouco a quantidade, além de começar a fazer mais cedo.

Por último, aproveitei também para começar uma boa (e definitiva) organização dos meus tecidos. Quando eu terminar, espero que seja logo, vou dedicar um post especial, para contar o processo todo.

#organizakatiaorganiza

Boa semana e boas costuras para você!Beijos!

Voltei a dar aulas! Primeira parada: Sesc Ipiranga
Um novo armário handmade para uma nova fase
Organização dos Moldes

Olá! Todo mundo vai bem?

Vamos por ordem na casa? Ou melhor, nos moldes?

Chega um momento em que, após costurar por algum tempo, você acumula uma pilha de moldes e não sabe o que fazer para deixá-los ordenados de modo que consiga encontrar um deles específica e facilmente, quando precisar. Eu estou vivendo essa fase tem algum tempo e sempre busco alternativas para organizá-los. Por achar esse assunto muito útil resolvi dividir com vocês o meu método. Na internet você encontra muitas outras dicas valiosas sobre esse assunto que envolvem custos variados.

Sua organização vai depender muito de seus projetos. Eu, por exemplo, costuro principalmente peças de vestuário infantis, o que facilita bastante a organização pois são moldes pequenos.

O jeito mais fácil que encontrei foi organizá-los em pastas plásticas colocando cada um em uma folha plástica.

Cada folha recebe uma etiqueta com o nome e o tamanho do molde. Feito isso, basta listá-los para a construção de um índice simples que você pode colar na contracapa ou colocar na primeira página de plástico.

Além de roupas infantis, gosto muito de costurar bolsas e bonecos, cujos moldes são organizados da mesma forma, em pastas diferentes. Além do nome do molde, faço uma breve descrição do que se trata para facilitar a identificação depois.

Por fim, tenho os moldes de vestuário adulto, peças para mim mesma. Esses moldes são poucos, mas como um dos meus principais objetivos é costurar cada vez mais para mim, organizo esse material em pastas para desenho. Lá dentro eles ficam todos juntos e meu índice, colado na tampa, diz apenas quais moldes eu tenho.

Ainda não consegui resolver essa bagunça, mas preciso fazer isso antes de ter um montão de material e ficar perdida, sem saber quem é quem. Continuo pesquisando a respeito e venho aqui novamente, quando encontrar novidades, ok?

Beijoca!
Ana

Aventuras em crochê: fazendo o xale vírus!
Vestido Infantil Florence
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno