Um novo armário handmade para uma nova fase

Aiai… como é bom escrever sobre 2018 referindo-se a ele assim: no passado, rs! Eu tive um ano muito intenso. Em um determinado momento vi que, se eu não cuidasse do meu equilíbrio físico, mental e espiritual, eu ficaria ainda mais doente.

Explico: no começo do ano passado eu fui diagnosticada com gordura no fígado em nível moderado. Meu médico pediu na época que eu emagrecesse 20 quilos. Logo de cara, como eu pouco mudei os meus hábitos, eu não consegui. E não tem jeito, é gordura, tem que queimar e não deixar acumular mais. A diferença é que não está lá visível como uma pancinha, pneuzinho e tal…

Vieram os acontecimentos de junho em diante e eu fiquei muito mal fisicamente. Não conseguia comer ou comia e passava mal. A depressão e as crises de ansiedade ameaçaram a minha saúde por alguns meses. Ficaria um post inteiro aqui descrevendo os sintomas, mas vou me ater a dizer que perdi 8 quilos sem saúde nenhuma. Tanto é que eu repeti os exames e a condição do meu fígado não tinha mudado. Aí eu vi que tinha que fazer algo por mim. Fui caminhar com meus cachorros (no começo foi difícil pois me sentia muito fraca, mas depois peguei o embalo), cuidei da minha alimentação. Minha família me ajudou demais nesse processo, assim como algumas amigas maravilhosas também.

Perdi até agora (e espero não mais encontrar, hahaha) 18 quilos. Sendo os 10 últimos com mais saúde. Os últimos exames que fiz já mostram uma condição bem melhor. Ainda não estou 100%, mas em 2019 eu sei que chegarei lá. Passei a me sentir mais disposta e mais feliz por estar bem fisicamente. E não teve como isso não se refletir no exterior.

Cabelo novo

Isso tudo estava acontecendo e eu não me reconhecia mais ao me olhar no espelho. Em agosto eu já tinha ficado loira pois não estava mais com cabeça para manter o cabelo rosa. Em outubro, o mês da virada, eu cortei o cabelo. Foi só o corte, nem mexi na cor. Mas parece que, daquele dia em diante, eu me encontrei de novo fisicamente.

Voltei a usar batom vermelho (a melhor transgressão da minha cartela de cor totalmente fria e opaca, rs), salto alto, roupas mais curtas ou mais ajustadas ao corpo. Sei lá como explicar, essa mulher nova que estava pedindo para sair pro mundo faz tempo finalmente apareceu. Mais segura, mais livre, mais feliz.

Cabelo novo, a volta do batom vermelho e a blusa de seda mais amada!

Roupas novas (só que não)

Passei a olhar com outros olhos para o meu armário. Resgatei peças que não me serviam há tempos ou que eu não tinha mais vontade de usar, mas que ainda estavam lá dentro. Comecei a fazer novas combinações. E tenho colocado sempre que lembro (rs) nos Stories do meu Instagram.

Aqui vão algumas fotinhos de looks, algumas clicadas no espelho mesmo, sem complicação. Pois se tem uma coisa que eu prezo hoje em dia é que as coisas fluam sem complicação, sem produção demais!

(Clique em uma das fotos para ver em tela cheia)

Um armário para a vida nova e vida real

Como eu contei nos Stories dia desses (já me segue lá no Insta? É o @katialinden), esse exercício meu de postar looks da vida real, cheio de repetecos e peças que já tenho faz tempo no armário (lembra que não costurei uma roupa nova sequer em 2018 e tricotei algumas peças apenas?) me faz pensar como eu vivo em paz com meus princípios.

Eu faço o que amo, valorizo o que tenho (usando muito o que tenho, inclusive). Esse momento de mostrar as peças é mais sobre ser testemunho de que é possível construir algo com as próprias mãos, para usar muito e de acordo com a vida que a gente leva.

Não nasci para ter uma “vida de blogueira” apesar de ter este cantinho aqui como o meu diário de bordo, como sempre digo. Prezo demais por um estilo de vida feito à mão (pode ser pelas minhas ou pelas mãos de outras pessoas), que caiba dentro da minha realidade e me deixe feliz. Assim consigo passar minha mensagem adiante, seja aqui pelo blog, pelas redes sociais ou através das aulas ou consultoria.

Passar toda esta etapa a limpo por aqui me ajuda a dar os passos seguintes, pois tem muita ideia boa para ganhar o mundo!

Beijos e até logo menos!

A volta às costuras depois de um ano
Voltei a dar aulas! Primeira parada: Sesc Ipiranga
Look do dia: Regata de crochê e quimono de seda!

Bem que esse post poderia chamar: look da formatura, rs! Sim, eu estava assim no último dia da formação em Consultoria de Estilo (contei mais aqui). O mais legal é que eu combinei peças que eu adoro e que eu nunca tinha usado juntas.

Look do Dia

Tanto a regata quanto o quimono já apareceram aqui no blog (aqui e aqui), mas nenhum dos looks anteriores valorizaram tanto estas peças. Estava me sentindo ótima neste dia, pela ocasião de concluir uma formação que eu queria muito fazer, pelo fato que estava amando estar com esta roupa, tanto pelo conforto quanto pelas cores e pela mistura das texturas de cada uma das peças: a seda fluida do quimono, o crochê da regata e o plissado da saia.

Uma coisa que eu nunca tinha notado também é que o lilás discreto da estampa floral do quimono batia certinho com o lilás da regata de crochê… Aí essa mistura toda de texturas fica mais conectada, sabe?

Lilás do quimono conectado com o lilás da regata (que amor)!

Regata em Crochê: projeto da professora Solange, nas aulas da Novelaria. Fio Malabrigo Baby Silkpaca (70% Baby Alpaca e 30% Seda) na cor Periwinkle. Mais fotos aqui.
Quimono de Crepe de Chine: Tecidos liso e estampado da loja Texprima. Molde da revista Burda portuguesa de 02/2012. Mais fotos do quimono aqui.
Saia plissada: American Apparel
Espadrilles: Cervera

Formada e feliz!

Mais algumas imagens deste dia tão especial!

Quimono versátil

Eu sempre tive uma preferência por roupas mais estruturadas e com modelagens mais próximas do corpo e, por conta disso, este quimono era usado bem menos do que deveria. Um olhar mais carinhoso pra ele tem rendido combinações especiais e diferentes entre si!

Em 2014, meio desajeitada com o quimono larguinho, rs!

No carnaval 2017, mais à vontade!

Que bom que agora estou usando mais este quimono e que o “look da formatura” ficou especial como eu queria!

Formação em Consultoria de Estilo!
A volta às costuras depois de um ano
Look do Dia: Colete de Tricô!

Com um certo tempo de costura, eu fui acumulando muitos materiais e hoje em dia compro quase nada. Compro só se já for usar em seguida, como o tecido salmão para completar o saquinho de tecido do presente da Valentina.

Já quando comecei a tricotar, procurei desde o início não acumular lãs e linhas. É tentador olhar novos materiais para a nova técnica da vez, mas tenho conseguido manter um certo controle. Tudo o que tenho cabe em uma sacola grande, nada mais guardado em outro lugar do ateliê.

Quando viajei para Montevideo no ano passado, aproveitei para comprar algumas lãs e tenho dado prioridade em usá-las antes de sair comprando outras. As meadas de lã torcidinha e sem tingimento ficaram esperando a ideia de um bom projeto para ela. Até que a ideia veio e a mestra Solange me ajudou a colocar em prática.

Inspiração: O quimono de flanela

Levei para a aula o quimono de flanela que criei em 2015, com a parte superior da frente maior que a parte de baixo, o que dava uma forma diferente para o decote.

Queria fazer a mesma peça em lã e a professora Solange me ajudou bolando uma receita.

O quimono que virou colete

Durante a execução do projeto, vi que a lã não daria para tricotar um quimono, ainda mais com as mangas amplas que ele tem. Então, mudamos para o “plano B”, transformando a peça em um colete.

Achei bom, pois não tenho costume de usar coletes e esta pode ser uma ótima opção de terceira peça para dar uma cara diferente (e quentinha) às minhas produções!

Emoção até o final

No fim das contas, a lã deu certinho para tricotar as três partes do colete, mas faltou para fazer o acabamento da peça. Acabei comprando uma outra lã sem tingimento, na Novelaria, e a utilizei para dar um acabamento em crochê nas cavas e no decote. Ou seja, cheguei ao “plano C” para concluir este projeto, rs! O tanto que sobrou da lã linda já está virando uma outra peça, sem desperdício!

(Clique em uma das imagens para ver em tela cheia!)

Usei seis meadas da lã flamê retorcida (100% merino, cor natural) compradas na Balitex (em Montevideo) e agulhas 8mm para tricotar. O acabamento foi feito com lã fina de merino e agulha de crochê 4mm.

Estreando o colete

Aproveitei que iria novamente para o Inhotim, para concluir a visita que eu e o Ricardo iniciamos no ano passado (posts aqui e aqui) e levei o colete na mala. Os dias ensolarados em MG não estavam tão quentes, então passei o dia todo vestida com a novidade e fiquei bem confortável!

Como queria que o colete fosse o principal do look, combinei com calça e camisa jeans e tênis prateado. Adorei como ficou!

Colete: lã flamê retorcida de merino, cor natural, comprada na Balitex (Uruguai). Acabamento feito em crochê com lã fina de merino. Receita criada pela professora Solange.
Camisa Jeans: Levi’s
Calça Jeans: C&A
Tênis: All Star

Um pouquinho do Inhotim

Assim como no ano passado, este foi um dia de muita beleza num lugar inspirador para quem gosta de arte! Aproveitamos muito o passeio, mais uma vez!

Teve mais uma estreia no dia seguinte de passeio, aguarde mais um post!

**Siga o blog com o Bloglovin **

Voltei a dar aulas! Primeira parada: Sesc Ipiranga
Um novo armário handmade para uma nova fase
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno