Look do Dia: Saia de Sarja!

Olá!
Vamos aos posts com looks do último feriado? Até porque não teremos nenhum nesse mês para dar um passeio mais longo, né?! Rs!

Aproveitando que eu viajaria no feriado do 09/07, arrumei tempo para fazer uma peça nova para levar na mala. Como estou com problemas com partes de baixo (algumas estão grandes e outras ainda estão pequenas), resolvi fazer uma saia reta de sarja. Quer dizer, uma mini saia.

Ano passado eu usei muito uma saia de malha azul (essa aqui), até que ela ficou enorme, então achei que ter uma nova saia azul seria uma boa.

O molde escolhido foi o Arielle, da Tilly and the Buttons. Fiz em sarja azul marinho com elastano e adorei o resultado com os botões azuis um pouco mais claros que o tecido!

Para estrear, resolvi usar a camiseta amarela de malha que fiz recentemente (look com ela aqui) e gostei bem das cores da saia, da camiseta e da sapatilha juntas! O detalhe da frente, com os botões, dá um charme a mais na saia, não a deixou tão basiquinha!

Preciso confessar que o senta e levanta do turismo que fizemos no dia a deixou um pouco amassada (#realidades, como sempre!), mas isso também aconteceu porque fiz meio tamanho menor, na esperança de não perdê-la muito rápido (daria pra eu fazer um filme sobre isso: “vivendo perigosamente ao fazer minhas próprias roupas”, dedicado aos meus papos com a mestra Pat Cardoso!)

Enfim, nesse dia eu e o marido fomos ao Parque Lage tomar um café da manhã maravilhoso, passeamos pelo parque e depois fomos conhecer a Vista Chinesa. Aliás, descobri que estas são duas coisas que eu amo fazer no Rio: tomar cafés da manhã com vistas maravilhosas e também contemplar a cidade de cima, de pontos diferentes. O look deu conta das caminhadas e do entra e sai dos transportes numa boa!

Saia: Tecido de sarja com elastano comprado na loja Dona Dani (SP). Molde Arielle, da Tilly and the Buttons (Inglaterra)
Camiseta: malha de viscose e elastano – visco flamê – comprada na Mediterrâneo (Bom Retiro), molde gratuito da camiseta Plantain, da Deer and Doe (França)
Sapatilha: Capodarte
Batom: Petite Red (MAC Julia Petit)

Vamos ver um pouco das lindezas?

Definitivamente o Parque Lage é um dos nossos lugares favoritos no Rio! Deu saudade ao rever as fotos!

O mirante da Vista Chinesa é lindo e a vista é maravilhosa!Cada ida ao Rio faz com que a gente queira sempre ver a cidade do alto, de pontos diferentes!

Numa das noites no Rio, usei a saia de novo para ir para um dos nossos bares favoritos em SP e que tem também lá no Rio, o Astor (e ainda tem o nome do meu primeiro filhotinho!) Usei meu cropped de manga comprida, botinha e batom escuro. Na hora que vesti, gostei até mais do que o primeiro look, acho que por não ter que me preocupar com a camiseta molinha saindo de dentro da saia o tempo todo!

Conseguimos fotografar a saia direitinho nessa noite, yay!

Saia: Tecido de sarja com elastano comprado na loja Dona Dani (SP). Molde Arielle, da Tilly and the Buttons (Inglaterra)
Top Cropped: Malha Suit Wall comprada na loja Dona Dani (SP), molde Astoria da revista Seamwork de abril/2015 (EUA).
Bota: Luisa Perea
Batom: Diva (MAC)

Desde que costurei essa saia, tenho usado muito!

Gostou?
Beijos!

Meus 10 anos de costuras – Mantendo este blog desde 2013!
Look do dia – Blusa de malha com efeito tricô e mangas morcego
Look do dia – Réveillon em Copacabana!

Olá!

Eu tinha planejado o look do ano novo beeeeem arrumadinho, com sapato de salto, brincos enormes e tal. Eu e o marido resolvemos apenas em dezembro que passaríamos o Ano Novo no Rio, mas sem nenhum plano específico para a noite da virada. Era bem capaz que passássemos no hotel mesmo, aí a arrumação faria sentido.

Mas pintou um convite para ver a festança em Copacabana, no apartamento da família de uma amiga querida (beijo, Vê!) e parte desta arrumação foi deixada de lado.

Primeiro porque mesmo à noite fez uns 30 graus, depois porque tivemos que andar de Ipanema até Copacabana e, por último, porque já que estaríamos lá tínhamos que estar prontos para aproveitar a festança com pé na areia (mas ficamos só no apê-camarote, de tão bom que estava, rs!)

Por isso, meu vestido de piquê ganhou uma produção mais simples, de acordo com a situação praiana: Melissa baixinha para poder andar numa boa, cabelo preso com coque simples e baixinho porque sou calorenta e brincos pequenos. Do plano inicial sobraram só o anel grande e a maquiagem, rs!

Fiquei feliz por ter começado o ano realizando uma vontade antiga, de passar um réveillon no Rio. Participar de algo tão lindo e grandioso foi muito especial para mim, além de ter sido super tranquilo. Sinal de que já devo ter começado 2015 bem, amém!

Depois de relembrar esta lindeza toda, vamos ao look?

Vestido: tecido de piquê de algodão comprado no Fernando Maluhy (Centro – SP), molde do vestido Lonsdale da Sewaholic Patterns (Canadá). Sandália: Melissa Aranha Hits Anel: Camila KleinBrincos: Tiffany’sBatom: Flat Out Fabulous (MAC)

Tempos atrás, vi no blog da Colette Patterns que a Sarai tinha feito este vestido em piquê branco mas tinha mudado um pouco a saia e acrescentado algumas pences. Olhando o site de moldes Sewaholic, gostei tanto do modelo como ele era e da ideia da Sarai de fazê-lo em piquê que comprei o molde. Ele ainda não tinha a versão em PDF, então tive que aguentar a ansiedade de esperar chegar pelo correio (levou umas 2 semanas). Gostei muito do molde e das instruções, recomendo! Fiz do jeito que estava lá, sem modificações. Ah, para ficar na altura do joelho eu tirei uns 17cm do final da saia, então deve dar bem certo para quem é mais alta ou para quem fazer um modelo midi!

Eu gostei muito das proporções entre a saia godê e o detalhe cruzado da parte de cima. A luz do quarto do hotel não era aquela maravilha então não fotografei as costas, mas o laço atrás também fica bem fofo (mostrei no cabide aqui)!

Depois, pensando numa possibilidade de evento festivo no futuro, esse vestido ficaria lindo na versão longa, num tecido bem leve como um chiffon, né?!

Gostou? Eu adorei!
Beijos!

Meus 10 anos de costuras – Mantendo este blog desde 2013!
Look do dia – Blusa de malha com efeito tricô e mangas morcego
O que te inspira?

Olá!

Desde que eu desisti de fazer academia e passei a fazer exercícios ao ar livre (corrida, caminhada e bicicleta), eu acabei encontrando uma “brecha” para desligar da vida por uma hora no dia, cuidar do corpo e, ao mesmo tempo, deixar a cabeça livre pro que realmente interessa.

É uma hora em que, enquanto o corpo trabalha, eu processo um monte de coisas e, eventualmente, as ideias surgem. Dia desses, fotografando um pôr-do-sol lindo (faço muito isso), eu pensei em fazer este post. Porque aquela luz e aquelas cores realmente me inspiram.

Céu nublado e suas cores no fim do dia.

Céu azulzinho e suas cores no fim do dia.

É sempre o mesmo lugar e o mesmo trajeto, mas que a cada dia me oferece uma nova visão e isso me deixa realmente muito feliz. O dia que eu corro na chuva leve em que as flores rosas se destacam no cinza. Em outro dia, o céu está azulzinho com nuvens brilhantes. Os tons de rosa e laranja. Encontro em cada dia exatamente as cores que eu mais gosto: azul, verde, vermelho, rosa, laranja, branco.

Eu também costumo voltar muito inspirada de viagens. A última, para o Rio, me presenteou com momentos lindos no Jardim Botânico, mais uma vez, cores e natureza sempre chamam a minha atenção. Aproveitei a tarde de sol para fotografar com calma os detalhes que chamaram minha atenção e, mais uma vez, luz, sombra, movimento e cores me impressionaram.

Tanta coisa linda nestas minhas fotos do Jardim Botânico que eu nem consigo descrever à altura!

E algo que sempre me acompanha é a música. Eu tenho lido e ouvido muita coisa dos anos 70 de uns tempos pra cá. Aprender sobre a arte de David Bowie e ouvir muito punk e rock desta década não só me diverte muito e também já me rendeu um tanto de ideias.

Discos e livros relacionados aos anos 70, muito amor!

Mais recentemente, em um show incrível do Jack Johnson (sou fã há muitos anos e fui ao show dele na semana passada) me fez pensar mais uma vez em mar, natureza, amor e simplicidade. Pensei nas referências que a gente vai acumulando com o passar do tempo (Jack Johnson cantou um trecho de “I Wanna Be Your Boyfriend”, dos Ramones e também cantou Jorge Ben Jor: “Umbabaraúma” e “Mas Que Nada”, tanta coisa junta que eu amo em um mesmo show). As músicas dele são das poucas calminhas que eu escuto e muitas delas marcaram momentos legais da minha vida.

O moço é uma simpatia de pessoa, sorridente, acessível (chamou um fã para cantar e tocar violão, atendeu pedidos que as pessoas escreveram em cartazes), canta lindamente, faz letras com as quais a gente se identifica. Gosto demais da conta. Show internacional sem megalomania, coisa difícil nos dias de hoje. Saí de lá de alma renovada, numa tranquilidade deliciosa (e pensando numa roupa futura em algum destes tons que tanto gosto, levinha e esvoaçante, rs!). Cantei feito doida o show inteiro e acordei no dia seguinte com dor de garganta. E feliz da vida.

Amar materiais e cores que remetem à natureza, querer fazer mais um vestido estampado levinho, ter mais plantas em casa, levar uma vida mais simples, ter menos coisas artificiais na minha cozinha. Estas coisas todas, colocadas em prática, são extensões do que eu sou. Isto tudo que compartilhei por aqui influencia diretamente o que eu vivo e costuro, são algumas das minhas fontes de inspiração. E você, o que te inspira?

Beijos!

Meus 10 anos de costuras – Mantendo este blog desde 2013!
Look do dia – Blusa de malha com efeito tricô e mangas morcego
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: feminista, mãe de cachorros, tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno