Olá!

Semana passada eu terminei de bordar a colcha do Noah, tudo feito com a técnica do Sashiko.
Eu aprendi os princípios do Sashiko num Workshop na Kikikits em janeiro. Na ocasião, fiz meu bordado com uma linha DMC perlê, a mais parecida com a linha japonesa Olympus. Ambas são 100% algodão.

Na época eu comprei algumas linhas da Olympus para trabalhos futuros, em branco e natural. Só que a linha da DMC foi suficiente para bordar a peça do workshop, que virou almofada e toda a colcha do Noah. A agulha usada foi uma que eu já tinha, que parece com a agulha de ponto cruz, mas tem a ponta mais afiada, mais adequada para bordar tecidos.

Depois de decidir como seria a colcha, comprei o linho (para manter a tradição de bordar em tecidos naturais), montei a frente da colcha com blocos de Patchwork (contei essa parte no primeiro post da colcha, aqui) fui atrás dos motivos para bordar. A maior fonte foi o Pinterest. Fora dele, não havia praticamente nada em português e pouca coisa em inglês. Lá fui eu procurar um livro sobre o assunto e comprei este aqui, na Fonomag:

Eu vou fazer um post depois só sobre o livro, mas por ora conto que, apesar de estar em japonês e eu não entender nada da língua, ele foi suficiente para escolher os motivos, já que propõe os projetos por estação do ano. Escolhi os que estavam na Primavera, quando o Noah vai nascer.

Fiz mais buscas sobre os significados de cada desenho e o que eu encontrei foi:

Asano-Ha (en: Hemp Leaf – sim eu também estranhei, rs!). Eu entendi como sendo as folhas de Cânhamo. O Imperador do Japão só usa roupas feitas de cânhamo e o motivo costuma ser bordado em peças infantis para desejar que a criança cresça forte e bastante, assim como a planta.

O livro também foi útil para direcionar a ordem do bordado, importante para que as figuras fiquem formadas corretamente e mantenham as características da técnica de oferecer resistência às peças enquanto decora e que as linhas não se sobreponham no lado direito.

Acabei fazendo os motivos não muito pequenos pois achei que deixaria um efeito gráfico interessante e também eu conseguiria manter o controle do bordado, já que eu não estou acostumada a fazê-lo, fora ser feito em um tempo razoável.

Eu bordei com a frente da colcha já costurada, transferi os desenhos usando papel manteiga desenhado, papel carbono branco para tecido e carretilha.

E aqui está a frente da colcha, prontinha!

Eu adorei o resultado, ficou como eu imaginava!

E, para manter o costume de dedicar uma trilha sonora californiana ao pequeno Noah, lá vai:


Não teve jeito, com o show do Metallica, a gente retomou os álbuns clássicos aqui em casa. Essa é uma das minhas favoritas!


Pula, Noah, pula!


Só clássicos dos cabeludos dos anos 90 neste post!

No próximo post, vou colocar os detalhes finais deste projeto, não perca!

Beijos!