Look do Dia: Shorts Envelope!

Olá!

Antes de viajar para o Rio, fiz um shorts para levar na viagem. Foi um daqueles projetos rápidos e super gostosos de fazer. Aproveitei o que restou do chambrê que usei nos dois vestidos Bettine, então nem precisei sair atrás de tecido e gastei este corte todinho, o que é ótimo!

Assisti ao vídeo do shorts envelope criado pel’A Costureirinha, está bem explicadinho! Tem também um tutorial com fotos no blog dela, então não tem desculpa para não fazer! O modelo veste até o tamanho 42 e para mim deu certo!

O jeito de vestir o shorts é diferente, já que não tem uma abertura convencional, mas o resultado é muito bom! Se eu repetir este projeto, faria uns centímetros mais comprido e adicionaria alguns centímetros também na parte de cima, para a cintura ficar mais alta. Do jeito que ficou também dá super para usar!

Depois de muito bater perna no dia anterior (em que fizemos boas compras, post aqui), este dia tinha que ser mais tranquilo, né?! Reservamos o dia para ir à praia e ter um belo almoço depois. Usei o shorts como saída de praia, por cima do meu maiô. Para ir almoçar lá na Gávea, foi só colocar uma blusa por cima, minhas alpargatas listradas e já estava pronta!

A frente fica com as laterais sobrepostas e um lacinho…

E as costas ficam assim!

Sim, eu estava na praia antes destas fotos, rs!

Sem make e com cara de preguiça pós-praia e pós-almoço!

E esse roxo na perna que parecia a pinta da Angélica?!

Shorts envelope de amarrar: Tecido de chambrê de algodão comprado na Tecidos NA (Santo Amaro). Molde e passo a passo em vídeo d’A Costureirinha.
Alpargatas: Tecido Cath Kidston (Londres), sola Prym (Berlin)

Blusa: Anthropologie (Londres)

Gente, esse grafite era tão lindo e colorido que tirei um tanto de fotos!

Adorei o shorts e o dia de praia com ele, recomendo!
Beijos!

Voltei a dar aulas! Primeira parada: Sesc Ipiranga
Um novo armário handmade para uma nova fase
Visitando O Mercado de Estilistas Independentes do Rio!

Olá!

Se tem uma coisa muito difícil de acontecer comigo é programar uma viagem em função de fazer compras. Sim, em alguns momentos as compras podem acabar acontecendo, mas não sou o tipo de pessoa que viaja focada apenas em fazer compras, isso é o que eu quero dizer.

Mas na minha última ida para o Rio isso foi um pouco diferente. Estão pipocando pela cidade toda feiras e bazares muito legais com marcas pequenas (em tamanho, mas não em “interessância”) do Rio mesmo. Parecem ser bem diferentes dos bazares que eu estou acostumada a frequentar em SP, bem dirigidos a vender acessórios, coisas para a casa, decoração e artigos infantis. Normalmente tem pouquíssima roupa nos bazares que vou aqui em SP.

Como estou estudando aos sábados eu não tenho como ir visitar nenhuma destas feiras, vivo só babando pelas redes sociais. Mas uma destas feiras aconteceu durante o feriado de outubro e, já que o Senac emenda os feriados, eu estaria livre e poderia conhecer.

Começamos o dia de compras (rs) visitando a loja Felipa, no Leblon, especializada em alpargatas e espadrilles. A coleção que estava à venda era a coleção Piquenique, com bastante xadrez vichy e bordados de formiguinhas! Vivi Basile me apresentou à marca no nosso último encontro e eu não pude deixar de ir lá conferir, ainda mais nessa minha fase sem salto.

Comprei uma alpargata de tecido xadrez verde com bordado de formigas e um torrão de açúcar! Ela é linda e super confortável!

Alpargatas lindas, fofas e confortáveis!

Depois de almoçar por lá, seguimos para o bairro das Laranjeiras. Lá acontecia “O Mercado” de Estilistas Independentes, na sede do Fluminense. Como comentei, é bem diferente dos bazares que estou acostumada a ir em SP, lá a maioria das coisas à venda era roupa. O tema da edição que fui era Geek (amo) e também voltamos com algumas coisinhas bacanas para a casa.

O Mercado – visto de cima. E esse salão maravilhoso do Fluminense?

Porta lápis e canecas

Camiseta para mim e para o marido, foi difícil escolher a estampa, viu?

Vestido evasê com estampa moderninha e colar de fita e metal escuro.

Depois da feira, seguimos para a Barra, pois queria conhecer a loja física da Damyller que tem no Rio. A empresa é de Santa Catarina e tem lojas apenas no interior de SP. Andava namorando os jeans da marca há um tempo e queria ver se achava um shorts jeans de cintura alta, que não fosse mega curto, sem rasgos ou lavagens diferentonas. Não é que achei?

Amor em forma do shorts jeans perfeito!

Gostei tanto dos jeans e do preço que depois comprei uma calça jeans na loja virtual da Damyller com modelagem idêntica ao shorts. Mas esse será assunto para outro post… 😉

Eu prefiro investir meu dinheiro assim – com compras feitas cuidadosamente, preferindo produções nacionais e de pequenas empresas – do que pirar em Black Friday (que a gente sabe que aqui no Brasil infelizmente tem muita enganação e que às vezes as compras acontecem por impulso). E olha que tinha tanta estampa maravilhosa na feira que eu tive mesmo que me controlar para não trazer muitos vestidos novos para casa, rs!

O look escolhido para esta maratona foi este: fresquinho e super confortável. Minha regata de seda (que amassou na mala e foi desamassada com o calor do secador de cabelo do hotel, rs #causos), minha mini saia de sarja e alpargatas listradas. E qual não foi a minha surpresa ao me dar conta que eu tinha costurado tudo isso?

Regata: Tecido de seda comprado na Britex Fabrics (San Francisco). Molde Sorbetto – gratuito – da Colette Patterns.
Saia: Tecido de sarja com elastano comprado na loja Dona Dani (SP). Molde Arielle, da Tilly and the Buttons (Inglaterra).
Alpargatas: Tecido Cath Kidston (Londres), sola Prym (Berlin)

Enfim, este foi meu dia, meu look e minhas boas compras nesta viagem!

Espero poder visitar outras feiras do tipo em breve!
Beijos!

Voltei a dar aulas! Primeira parada: Sesc Ipiranga
Um novo armário handmade para uma nova fase
Vestido de Chambrê: um molde e duas peças diferentes!

Olá!

Este ano está sendo um período cheio de projetos longos. Então, sempre que posso, procuro executar algo mais rápido, para ter aquela sensação boa de ter algo pronto em mãos, sabe?
Aproveitando que iria costurar um vestido para a Ane, que veio nos visitar no comecinho de outubro (beijos, amiga!), resolvi fazer primeiro a peça para mim. Serviria como uma peça piloto, mas que eu fiz direto no tecido definitivo para sair usando. Aí, depois de pronta a minha peça, eu veria se seria preciso fazer alguma alteração no vestido que eu iria presentear.

O modelo escolhido foi o Bettine, da Tilly and the Buttons. Eu não fiz nenhuma alteração na minha peça e escolhi a versão com bolsos. Costurei rapidinho e deixei mais fofo fazendo alguns detalhes com um retalho de tecido Liberty que eu amo.

Vamos aos “poréns” que eu acabei encontrando pelo caminho: eu conferi tudo o que tinha para conferir sobre as medidas da peça, mas esqueci de medir como ficaria nos braços. Meus braços são gordinhos e de vez em quando eu tenho problemas com roupas que servem bem no corpo todo, mas que apertam nos braços.

Preciso confessar que rolou um excesso de confiança da minha parte, pois tenho costurado peças menores de uns meses pra cá e, desta vez, caí do cavalo, rs! O jeito foi soltar as costuras de ombro e dos braços o tanto que foi possível. Não resolveu tudo, mas já não está “enforcando” os meus braços gordinhos!

Segundo ponto: a saia afunilada. O volume a mais na região do quadril por conta da saia tulipa sinceramente não me incomoda. Mas quando eu sento, a saia levanta bastante, fazendo com que eu tenha que puxá-la para baixo constantemente.

Terceiro: fiz o vestido com elástico conforme indicado e a posição dele faz com que ele puxe o vestido para cima, pois a parte mais fina da minha cintura fica mais acima e o elástico fica tentando chegar até ali. Mais uma razão para eu ter que ficar puxando o vestido para baixo.

O vestido terminado é bonito e eu vou continuar a usar do jeito que está. Não sei se repetiria o molde sem alterações ou mesmo sem que eu o fizesse um tamanho maior. Estes são os pontos que considerei para fazer a peça que eu daria para a Ane.

Então lá vai como ficou o meu vestido:

E já que eu e Gisele ainda não temos corpos idênticos, rs, em mim ficou assim:

Nesse dia deveria estar muito calor, pois meu rosto está vermelhinho e eu não tenho tomado sol, rs! #realidades

Os bolsos são fundos o suficiente para caber o celular, uma raridade devido ao tamanho dos aparelhos hoje em dia!

Braços menos livres do que eu gostaria…

Vestido: Tecido de chambrê de algodão comprado na Tecidos NA (Santo Amaro), detalhes em tecido de algodão Liberty (Londres). Molde do vestido Bettine, da Tilly and the Buttons (Inglaterra).
Alpargatas: Tecido Cath Kidston (Londres), sola Prym (Berlin)

Eu e a Ane temos algumas coisas em comum em relação ao formato do corpo: temos pouco busto e a cintura bem mais fina que o quadril. Eu sou um tiquinho mais alta e a Ane é magra, mas as proporções são parecidas (o que é bem curioso)! Felizmente, a Ane não tem pancinha nem bracinhos gordos como eu, então não tenho que me preocupar com essa parte ao costurar para ela, hehehehe!

A peça da Ane foi feita um tiquinho maior do que aparecia na tabela para as medidas dela, já que ela não gosta de roupas justas. Vendo o que aconteceu com a minha saia, acabei deixando-a bem retinha. Por último, substituí a colocação do elástico por uma fita do mesmo tecido que sai na frente por duas casinhas, assim ela pode ajustá-lo o quanto quiser, assim como escolher a altura.

Fiz para a Ane o que eu faria para mim se um dia eu repetir o molde, e tudo bem, pois considerei que a minha peça cumpriria a função de ser um piloto mesmo. Felizmente, o vestido dela felizmente ficou mais bonito que o meu e ela gostou do presente! Essa é a melhor parte!

Aproveitei para deixar os detalhes mais discretos, com os bolsos no mesmo tecido do vestido e os detalhes das mangas também com tecido Liberty, mas menos contrastante. Achei que ficou a cara dela!
E aqui, uma foto da Ane quando ela estreou o presente, fiquei feliz em ver que ficou como eu imaginei no corpo dela!

É muito bom saber que podemos explorar as possibilidades de um molde e que podemos deixá-los conforme o nosso gosto!

Gostou? Apesar dos “poréns”, eu gostei!
Beijos!

Um novo armário handmade para uma nova fase
Look do Dia: Carteira em Crochê!
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy e Game of Thrones, esposa, dona de casa, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno