Look do Dia: Camiseta de Manga Comprida!

Encerrando os posts das férias (e do que eu fiz para levar na mala), hoje eu mostro mais uma camiseta que costurei com o molde Plantain, da Deer and Doe.

Depois de projetos mais complexos como costurar um casaco de lã todo forrado e com uma capinha e de tricotar um poncho de lã, foi muito gostoso terminar uma camiseta bem rapidinho para levar na mala de viagem.

Para mim, ambos projetos são gratificantes: aquele mais complicado que demanda muita atenção na execução e, muitas vezes, um tanto de pesquisa para que ele fique bem feito. Por outro lado, também adoro aquele projeto rapidinho, fácil e gostoso de repetir.

Esta é a terceira camiseta Plantain que faço (a primeira é esta e a segunda é esta) e continuo gostando muito do molde!

Camiseta de Mangas Compridas

Aproveitando que não faz muito tempo que abriu uma loja de tecidos até que perto de casa, fui um dia com as minhas amigas Erika e Vanessa comprar malha para fazermos juntas a camiseta. De cara adorei a cor, um azul noite. Nós três acabamos levando um corte da mesma cor, hehehe!

Resolvi repetir as mangas compridas só para poder colocar novamente o detalhe das cotoveleiras, assim ela fica mais especial. Fechei toda na overloque e só usei a máquina de costura para colocar as cotoveleiras e fazer as barras das mangas e da própria camiseta, rapidinho!

Look do Dia

Se os dias em Paris foram calmos, com mais tempo e pique para eu me arrumar, nos poucos dias em que estivemos na Itália foi correria total: queríamos visitar o máximo possível de locais e andávamos muito a pé. Por isso, acabei deixando a maquiagem de lado e os looks tinham que ser compatíveis com a agenda turística mais cheia. Felizmente tudo valeu a pena, quero muito poder voltar para conhecer mais da Itália!

Quando estreei a camiseta, em Firenze, foi o dia em que mais andamos na viagem inteira: foram 17km a pé! Mas olha, valeu cada passinho! Que lugar maravilhoso! Felizmente estava pouco frio, tanto é que só à noite que coloquei o poncho de lã por cima e fiquei bem!

O Rio Arno ao lado e a Ponte Vecchio ao fundo

Camiseta: Malha PV (67% poliéster e 33% viscose) da Atlântico Tecidos (Interlagos), molde gratuito da camiseta Plantain, da Deer and Doe (França).
Calça jeans: C&A
Tênis: Adidas

Dica – Gucci Museo

Firenze é a terra natal da marca Gucci e, por isso, lá se estabeleceu o Gucci Museo. Nós visitamos tudo em cerca de uma hora. Esta é uma forma de garantir uma exposição a mais para a marca, além das vitrines das lojas, e também uma iniciativa de devolver algo para a cidade onde tudo começou pelas mãos de Guccio Gucci. Eu acho muito interessante!

Eu tinha visitado a exposição Forever Now! quando passou por São Paulo em 2014 (e tem post com fotos aqui), então um tanto do que eu vi lá me pareceu repetitivo, principalmente nos acessórios. Ainda não tem nada sobre o diretor criativo atual, o maravilhoso Alessandro Michele (que está a frente da marca desde 2015), senti falta. Por outro lado, entrar numa sala grande com um bom acervo das roupas criadas por Tom Ford para a Gucci nos anos 90 foi uma bela surpresa!

Tom Ford para Gucci nos anos 90 – Gucci Museo

O que mais eu posso dizer sobre Firenze? Visite o máximo de museus e igrejas que puder e não deixe de contemplar a cidade do alto também!

Ponte Vecchio sobre o Rio Arno

Detalhe da “Coroação da Virgem entre Anjos e Santos”. Frente de altar em linho, bordado com fios de seda, prata e ouro. Por Jacopo di Cambio, 1336

Detalhe da “Coroação da Virgem entre Anjos e Santos”. Frente de altar em linho, bordado com fios de seda, prata e ouro. Por Jacopo di Cambio, 1336

Davi, de Michelangelo (1501-1504)

Firenze do alto – Piazzale Michelangelo

Saudades desta cidade tão especial! Quero muito voltar para ver o que faltou e rever tanta beleza com mais calma!

_____

INFORMAÇÕES:

Gucci Museo
Endereço: Piazza della Signoria, 10, 50122, Firenze, Itália
Site

Galleria degli Uffizi
Endereço: Piazzale degli Uffizi, 6, 50122, Firenze, Itália
Site

Galleria dell’Accademia
Endereço: Via Ricasoli, 58/60, 50121 Firenze, Itália
Site

Viagem com Costura: Feira Craft em Paris (versão 2016)
Exposição Gucci “Forever Now” – Eu fui!
Look do Dia: Poncho de Lã!

Encerrando os posts sobre a minha viagem para Paris (os outros são este e este. Saudades do friozinho, rs!), levei o poncho de lã que tricotei e que consegui terminar a tempo de colocar na mala, assim como aconteceu com o casaco de lã com capinha.

Poncho de Tricô

Eu queria ter feito este poncho a tempo de usar no inverno do ano passado em SP, mas aparentemente todo mundo resolveu tricotar por conta do inverno mais frio e aí eu não achava a lã que eu queria para comprar. Quando achei, depois que o frio foi embora, engatei o projeto lá nas aulas da Novelaria.

O poncho é bem fácil de fazer, começa mais estreiro pela gola e vai aumentando com as laçadas centrais. Depois é só costurar a frente e as costas (que são iguais), fazer uma barra em tricô e subir uma gola. Eu amei!

Usei a lã Alpaca da Círculo (70% Acrílico e 30% Alpaca – cor Verde Petróleo), comprada na Lãs Formosa. Tricotei tudo com agulha circular 6mm (usei aberta para construir frente e costas e circular para gola e barra).

Poncho pronto!

Detalhe da gola alta, dispensa o cachecol!

A barra em tricô dá acabamento e não enrola!

Look do Dia

Estreei o poncho em um dia de passeios a pé. O bom de uma peça como esta é que você fica quentinha e com as mãos livres. Outra coisa boa é que dá para usar por cima de mais uma roupa quente, se o frio apertar mais. Acabei usando bastante este poncho nos outros dias da viagem!

Eu escolhi este verde escuro pois achei que ficaria bem para mim. Vendo as fotos, fiquei feliz com o resultado! Desde a análise de cores que fiz no ano passado, estou procurando comprar materiais em cores que eu costumava não dar muita bola e tem sido sempre muito produtivo!

Aproveitei o dia frio mas com um solzinho para ir ao Jardin des Tuileries fotografar o look. Por baixo do poncho eu estava com um vestido de veludo cotelê curtinho, camiseta térmica, além da meia calça grossa e botinhas. Quero repetir quando o frio chegar por aqui (falta muito? rs)!

No detalhe! Tão quentinho!

Poncho de lã: Lã Alpaca da Círculo, comprada no site Lãs Formosa. Projeto da professora Solange, nas aulas da Novelaria (SP).
Vestido: Laundry
Bota: Schutz

Marido ajuda nas fotos e ainda arrasa na selfie! <3

Mais Dicas de Paris

Neste dia, fui conferir como ficou o Les Halles depois da reforma. Ficou muito bonito! Como já estava pertinho, visitei a La Droguerie. Como tenho um lenço de algodão de lá que gosto muito (você pode vê-lo em uso aqui), desta vez resolvi repetir a dose, mas com uma echarpe dupla face em veludo cotelê e algodão. Quando eu costurar, mostro por aqui!

Lá no bairro onde ficamos hospedados, no 11o arrondissement, além da Anna Ka Bazaar, fui também ao Welcome Bio Bazar, uma loja moderninha com muitos produtos orgânicos e uma pequena e muito boa seleção de crafts. De lá trouxe só um projetinho de bordado que pretendo aplicar na minha jaqueta jeans, pois as lãs e tecidos eram lindos mas muito caros.

Outra dica que deixo é: se você gosta de exposições de moda e afins, procure saber o que pode estar rolando durante sua estadia na cidade. Paris sempre tem algo relacionado à moda acontecendo o ano todo, inclusive fora dos períodos de Fashion Week.

Eu visitei uma exposição linda no Palais Galliera chamada “Anatomie d’une collection” e também uma demonstração da Hermès chamada “Hermès Hors les Murs” igualzinha ao Festival des Métiers que aconteceu em SP em 2015. Fiquei feliz pois vimos antes dos próprios franceses!

Ah, das andanças pela cidade vieram mais dois dedais para a minha coleção. Da banca de revistas do aeroporto, duas revistas lindas!

Que dia maravilhoso! Estou feliz de compartilhar por aqui os meus achados e também o look do dia com este poncho que adorei fazer!

_____
INFORMAÇÕES:

Welcome Bio Bazar
Endereço: 10 Rue Boulle, 75011, Paris
Facebook

La Droguerie
Endereço: 9-11 Rue du Jour, 75001, Paris
Site

Palais Galliera (Museu da Moda de Paris)
Endereço: 10 Avenue Pierre 1er de Serbie, 75016, Paris
Site

Consultoria de Estilo: (Re)encontrando as minhas cores com a Ana Soares!
Look do Dia: Blusa com Pregas e Saia Calça (ambas da Burda Style!)
Exposição “Arte na Moda: Coleção MASP Rhodia” – Eu fui!

Olá!

Eu queria muito ter colocado este post no ar enquanto a exposição ainda estava em cartaz, mas não consegui (sempre tenho tanto papo para colocar em dia, né?! Rs!). De qualquer maneira, preciso deixar registrado aqui no blog, porque foi muito legal! Eu visitei a exposição “Arte na Moda: Coleção MASP Rhodia” e adorei o que vi!

Contexto histórico

A Rhodia promovia apresentações incríveis em conjunto com estilistas e artistas plásticos para mostrar seus tecidos. Até onde eu li nas plaquinhas, eram todos tecidos de fibras sintéticas, já que a Rhodia é uma indústria química, que também está presente no setor têxtil. Estilistas e artistas brasileiros eram convidados a criar peças com estampas e modelagens exclusivas para estas apresentações.

As peças por conta disso eram únicas, lindas e super com a cara do Brasil e das décadas em que foram feitas. O acervo foi doado pela Rhodia ao MASP em 1972 e a coleção ficou esse tempo todo guardada, até que parte dela foi devidamente “desencaixotada” e ficou em exposição no museu entre outubro de 2015 até fevereiro passado.

A Rhodia continua no mercado de fibras têxteis (como poliamidas e tecidos inteligentes) até hoje, pena que não fazem mais os desfiles-show! Como ainda não existiam as semanas de moda como estamos acostumados a ver hoje em dia (e às vezes até cansados de ver, rs), tudo acontecia na Fenit (Feira Nacional da Indústria Têxtil), que eu acho que ainda existe também, mas não com a grande visibilidade dos anos 60 e 70.

Na minha opinião, de quem observa como consumidora de tecidos e também de roupas prontas, essa diminuição da visibilidade da Feira seria explicada pelo fato que a indústria têxtil nacional certamente deve ter encolhido nos tempos de valorização do Real (e por isso tanta roupa de fora tem sido vendida aqui, assim como tecidos, comentei primeiro aqui). Mais uma vez, essa é uma observação minha, como consumidora de roupas prontas e de tecidos e de quem pesquisou um pouquinho por curiosidade para poder escrever este post.

Veja que, ao contrário do que vemos hoje, quem promovia o desfile era a empresa fabricante dos tecidos. Estilistas e artistas eram convidados para fazer peças lindas e criativas com eles e assim gerar demanda pelos tecidos ao explorar as possibilidades deles. Atualmente nós vemos várias marcas que desfilam as roupas que são criadas por seus estilistas, mas normalmente não ficamos sabendo quem fabricou o tecido utilizado.

Exposição

Enfim, voltando à exposição, muitas modelagens lindas, estampas incríveis em tecidos que deram conta do recado tanto no caimento quanto no efeito de cores e texturas. Várias peças poderiam sair hoje em dia nas ruas, sem o menor perigo de parecer datado e isso foi o que eu achei mais incrível!

Eu vou mostrar alguns dos modelos que eu mais gostei, preciso confessar que vi tudo, subi, tomei um café, sentei um pouco, desci e olhei tudo de novo, nos mínimos detalhes! #alokadomuseu
Separei aqui as fotos dos macacões (e uma saia-calça), pois ando meio que viciada neles. Alguns parecem vestidos, outros parecem conjuntos de duas peças, veja o tanto de modelagens maravilhosas!

Na verdade, eu queria mesmo era colocar todas as peças aqui, mas o post ficaria gigantesco! Aqui vão mais algumas peças que adorei!

Vestido curtinho com bordado de pedraria

Esse vestido longo tinha um efeito visual lindo, composto pelos tecidos estampados sobrepostos!

Blusa quimono maravilhosa!

Buscando mais informações sobre este acervo – como bem definido neste documentário, “é uma coleção de moda feita por artistas” – e sua história, encontrei esse documentário muito legal, contado por pessoas que viveram essa fase tão interessante da nossa moda!


Para quem não pôde visitar os modelitos pessoalmente, vale a pena assistir!

Inspirações

Eu adorei ver as modelagens, namorei as estampas e as peças com tecidos em camadas, criando efeitos muito especiais. Observei também os acabamentos, como os zíperes normais cobertos por vistas dos próprios tecido das respectivas peças, já que os zíperes invisíveis (que nem sempre gostamos de colocar mas que adoramos como eles “somem” nas roupas depois de prontas) foram inventados tempos depois.

Muitas saias-calça (ou shorts-saia? rs!), modelos fluidos, recortes bem posicionados, calças amplas, vestidos curtinhos, ou seja, muita variedade de modelagens para ver e se inspirar. Depois de visitar uma exposição dessas, a vontade é de sair fazendo várias modelagens e costurando loucamente, rs!

Saí da exposição super inspirada, louca para fazer um macacão com saia-calça bem estampadão, sabe? Espero concluir este projeto antes do inverno chegar!

Para ter mais informações aqui comigo, comprei o catálogo da exposição, com boas fotos e referências dos modelos expostos, além de contar a toda a história envolvida.

Espero que outras exposições voltadas à moda aconteçam em breve!

Beijos!

Look do Dia: Camiseta de Manga Comprida!
Look do Dia: Poncho de Lã!
Katia Linden
Sou de São Paulo, publicitária de formação e várias outras coisas por admiração e escolha própria: feminista, mãe de cachorros, tatuada, amante de música, viciada em Grey's Anatomy, costureira, modelista, consultora de estilo e (também, ufa) autora deste blog.
Sobre o Blog ⟩
Newsletter

Assine a minha newsletter e receba novidades exclusivas por e-mail!

Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres.
Email inválido.
Insira apenas letras e espaços. Min. 2 caracteres. (Obrigatório!)
keyboard_arrow_right
close
Vencendo a minha maior resistência: vender!
Sobre Florescer em Pleno Inverno