Como eu contei há dois posts atrás, em 2018 eu praticamente não costurei, mas bordei e tricotei bastante. O apanhado de hoje então é dos tricôs que terminei ano passado. Alguns renderam looks do dia, outros não. De qualquer forma, quando forem usados de novo, terão seus looks atuais devidamente registrados!

Falando nisso, estou preparando um jeito de registrar meus looks sozinha, em casa mesmo. Quero descomplicar essa parte assim eu consigo preparar esse tipo de conteúdo mais rápido. Lógico que vez ou outra eu poderei contar com alguém que registre para mim, mas quero estar pronta para fazer isso sozinha também.

Eu não tenho mais aquele hábito de tricotar uma hora por dia, já que a minha rotina mudou completamente. Tricoto quando dá e quanto tempo der. E está tudo bem ser assim. Esse ritual de separar uma hora para algo totalmente meu se tornou o momento em que passeio com meus cachorros. Nessa hora, não ouço música, não mexo no celular. Estou ali totalmente presente naquele momento, o que eu acredito ser praticamente uma meditação.

Foi essa uma das coisas que ajudou a reestabelecer a minha saúde e sigo assim. Lógico que toda a manualidade de pratico acaba também cumprindo esta função, mas hoje em dia tenho feito de um jeito mais livre em relação a tempo ou horário, sabe?

Bom, vamos às peças!

Blusa de lã e linho

Comecei esta blusa no final de 2017, usando esta lã linda misturada com linho que comprei no Uruguai (post aqui). A ideia era ser uma blusa para meia estação, sem ser muito fechada e também por conta da composição do fio. Amo as cores e a textura desse fio! Terminei em abril de 2018 e adorei fazê-la! Mas ela ficou um pouco grande e agora é provável que esteja enorme (rs) então não sei se ficarei com ela.

A blusa é reta na frente, com um detalhe na vertical (que são dois pontos “caídos” de propósito, rs), decote canoa, mangas japonesas e um peplum na parte de trás. O projeto é da professora Solange, que me deu aula por três anos lá na Novelaria.

Acabei usando pouco, mas tenho dois registros dela:

Blusa em Top Down (Nat Petry)

Apesar de tricotar com frequência há quase quatro anos, eu nunca tinha feito uma blusa em top down (a técnica de tricô que começa pelo decote e vai descendo, normalmente feita com agulha circular). Adorei quando a querida Nat Petry veio para SP e eu consegui fazer as aulas com ela!

A Nat explicou um jeito muito simples de fazer a blusa em top down com mangas raglan. Ela dá a base de cálculo que possibilita fazer esse modelo para qualquer tamanho de blusa, no lugar de dar uma receita. Isso foi maravilhoso!

No curso que fiz, os materiais já estavam inclusos e eu escolhi fazer nesse fio vinho lindo! Acabei a blusa em 11 dias (um recorde que eu acho que nunca mais vou quebrar, rs), numa maratona de tricô que me ajudou muito em dias difíceis que eu estava passando em julho.

Quando terminei, fiz este post no meu Instagram. Foi um dos posts mais de coração aberto (e ao mesmo tempo ferido) que já fiz.

 

View this post on Instagram

 

Neste tempo de recolhimento, de luto e de coração partido, tenho feito o meu melhor para silenciar um pouco a minha mente enquanto mantenho as mãos ocupadas. Em 11 dias, um recorde pra mim, fiz essa blusa em top down, que aprendi nas aulas que a @atelienatpetry deu aqui em SP recentemente. Em um momento em que me sinto tão frágil, é confortante lembrar que sou capaz de construir algo com as minhas próprias mãos. Também tenho tricotado outras peças e tenho bordado bastante. Ter as manualidades como parte do meu processo de cura não é novidade na minha vida e sei que através delas posso me expressar e correr atrás de dias melhores e mais leves. OBS: só falta esfriar pra eu conseguir estrear a blusa, né?! OBS2: estou voltando aos pouquinhos! #tricotakatiatricota #armariohandmade #fizcomanat #topdown

A post shared by Katia Linden (@katialinden) on

Eu usei bastante esta blusa nos dias frios de inverno, mas não estava bem para fazer fotos com ela. Então, em algum momento deste ano, esta blusa vai voltar, porque eu a adoro e ficou muito linda!

Blusa de Seda e Lurex

Também comecei esta blusa no final de 2017, fui fazendo em paralelo com a primeira blusa deste post. Achei o fio muito lindo, de seda cinza com boutonê (essas pelotinhas) de lurex. Como o fio é muito lindo, não precisa de muita coisa, só trabalhar em ponto jersey mesmo.

A blusa tem decote canoa e mangas 3/4 (que estão mais compridas agora, mas eu uso puxadinhas pra cima sem problemas). Apesar de ser uma blusa mais fechada, dá para usar num tempo mais quente pois a trama é um pouco aberta e o fio é fresco. Não tem look que não fique ajeitado com ela, já usei bastante!

Mula Sem Cabeça

Hahaha, amo esse nome! O nome é este porque, ao tricotar, parece que você está fazendo uma regata sem a abertura do decote, mas é porque o jeito de vestir é outro. Fica como se fosse um colete. Eu, que ando muito ligada em terceiras peças para complementar meus looks e já tenho muitas blusas, achei que seria uma boa pedida!

Eu tricotei minha mula sem cabeça entre maio e setembro do ano passado, usando uma lã que também trouxe da última viagem ao Uruguai (aliás, preparando este post vi que já usei praticamente tudo o que comprei lá, assim que é bom!). Assim como a blusa em top down, foi um projeto que me acompanhou em momentos muito difíceis, até mesmo enquanto o meu pai estava no hospital.

A peça é feita toda em ponto canelado, o que faz com que demore mais um pouco para ficar pronta. Eu ainda não tenho fotos da peça pronta, então em algum momento ela volta também!

 

View this post on Instagram

 

Dia de fazer acabamento = dia feliz! #tricotakatiatricota #crochetakatiacrocheta

A post shared by Katia Linden (@katialinden) on

Novos tricôs para 2019

Agora eu estou trabalhando em um presente e também em uma encomenda. Aliás, preciso terminar as duas peças rapidinho! Logo menos volto com os looks das peças deste post e também mostrando estas duas peças que estão a caminho!

Bora tricotar bastante em 2o19!